Thomas Watson Jr. faz parte da categoria de herdeiros que conseguiram suplantar seus pais em genialidade. Seu pai, Thomas Watson, foi um empreendedor brilhante, responsável por introduzir a IBM no mapa dos negócios e a palavra PENSE no vocabulário dos executivos de sua época. Mas Watson Jr. foi além. Foi ele quem colocou a IBM no mundo dos computadores e transformou a Big Blue no maior sucesso empresarial dos Estados Unidos no pós-guerra. Sob seu comando, a IBM criou mais valor para seus acionistas que qualquer outra companhia na história dos negócios. Por feitos como esses, em 1987 Watson Jr. foi apresentado pela revista Fortune como "talvez o maior capitalista que já viveu".
Watson Jr. teve de desafiar o pai e a si mesmo para transformar a IBM numa gigante dos computadores. Na juventude, tinha crises de depressão causadas pelo medo de jamais conseguir se equiparar ao pai. Quando Thomas Watson deixou o poder, em 1956 - seis semanas antes de sua morte -, os computadores tão defendidos por seu filho eram o produto mais procurado pelas empresas americanas. Durante sua gestão, Watson tentou acabar com a cultura dos yes men difundida por seu pai. A respeito dos problemas que surgem todos os dias numa corporação, ele dizia: "Resolva-os, resolva-os rapidamente, resolva-os de maneira certa ou errada. Se você resolvê-los de forma errada, eles voltarão e darão um tapa em sua cara, e então você os resolverá corretamente".