Aguarde...

30/03/2004 16:21

O novo negócio do pai de Doda

Como Ricardo Miranda reinventou sua corretora de seguros e a transformou numa empresa de cartões

Cláudio Gradilone, EXAME
O carioca Ricardo Miranda aprendeu cedo a superar obstáculos. Herdou do pai militar a paixão pelo hipismo e a repassou a seu filho, Álvaro Affonso de Miranda Neto, o Doda, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Atlanta e namorado de Athina Onassis, dona de uma fortuna de 6 bilhões de dólares. Aos 55 anos, Miranda e seu sócio, Ney Borges Nogueira, também têm dado saltos estratégicos para reinventar seu grupo, a Pamcary, com faturamento de 240 milhões de reais em 2003. O negócio nasceu há quase 40 anos como uma corretora de seguros especializada em transporte de carga. Na década de 80, entrou no mercado de avaliação dos riscos envolvidos na operação das transportadoras. No final de 2003, Miranda deu mais um salto: transformou seu cadastro de caminhoneiros num sistema de cartões de crédito -- um negócio que deve faturar cerca de 90 milhões de reais anuais.

A diversificação constante em torno do foco foi a forma de garantir a sobrevivência, fugir da dependência de mercados saturados e assegurar o crescimento da Pamcary. Nos anos 80, com o aumento de roubos de cargas, a empresa perdeu muito dinheiro em sua operação de seguros. "Nossa margem é pequena e é muito fácil entrar no vermelho", diz Miranda. Para evitar o prejuízo, passou a identificar antecipadamente que apólices poderiam gerar problemas e a cadastrar os motoristas das empresas clientes. O cadastro tem hoje 150 000 nomes e foi nele que Miranda viu uma nova oportunidade de ganhar dinheiro. No início dos anos 90, as transportadoras passaram a implantar processos de logística, que dependiam de entregas pontuais. Uma alternativa era rastrear os caminhões via satélite. O custo, porém, surgiu como um obstáculo. Instalar um equipamento num caminhão pode custar até 3 000 dólares. A saída da Pamcary foi desistir dos satélites e usar o telefone. Cada motorista recebeu um cartão de identificação com tarja magnética, usado para rastrear os itinerários. São esses cartões que agora dão origem à nova atividade financeira da Pamcary: o crédito para caminhoneiros.

A trajetória da companhia
Ao longo dos últimos 40 anos, a Pamcary acrescentou uma série de novos negócios a seu portfólio
Anos 60 Corretagem de seguros
Anos 70 Perícia de acidentes
Anos 80 Cadastro de caminhoneiros
Anos 90 Logística de transportes
Hoje Cartões de crédito para caminhoneiros
Fonte: empresa


Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados