Boom de consumo ficou mais saudável na China

Os chineses estão trocando o macarrão por alimentos mais sofisticados

São Paulo – A renda das famílias chinesas cresceu num ritmo acelerado nos últimos anos.  Se em 2007 a média dos salários anuais na China era de 24 900 iuanes (3 600 dólares), hoje ele é de 67 500 (quase 10 000 dólares). Com esse aumento, os chineses passaram a consumir uma variedade de produtos antes inacessíveis à maior parte da população, como carne bovina.

Recentemente, a guinada no consumo foi acompanhada por outra transformação. Agora, a população das grandes cidades está buscando produtos e alimentos mais saudáveis e sofisticados. Um estudo da consultoria Bain, que analisou os hábitos de consumo de 40 000 famílias, identificou que os chineses estão comprando menos chocolate, doces, cerveja e biscoitos, e mais água mineral, iogurte, maquiagem e creme para a pele.

Até o tradicional macarrão instantâneo perdeu espaço. Em 2016, as vendas caíram 10%. Como resposta, os fabricantes investem no lançamento de noodles com ingredientes saudáveis e embalagens melhores. É a China cada vez mais premium.