O que esperar do mercado de trabalho em 2017? | EXAME.com
São Paulo
Germano Luders
Carregando

O que esperar do mercado de trabalho em 2017?

Fernando Mantovani

Para aqueles que buscam uma recolocação no próximo ano, a mensagem é esta: mercado de trabalho não ficará parado em 2017. Entretanto, os profissionais e as empresas devem estar preparados para grandes e novos desafios. Ainda não veremos vagas em abundância, mas acredito que as oportunidades serão em maior número que em 2016. Em termos salariais, não veremos grandes variações. É preciso entender que o momento é outro e os salários inchados do passado não voltarão.

Os processos de recrutamento continuarão rigorosos e as exigências altas serão mantidas. A escolha do candidato está mais lenta. De acordo com 53% dos diretores de RH que participaram de uma pesquisa da Robert Half, a duração do processo seletivo aumentou em suas empresas, muito em virtude da dificuldade de encontrar o perfil ideal, do maior número de currículos recebidos por vaga e de mais etapas no processo seletivo.

Os candidatos precisam se reinventar. É preciso estudar a própria carreira. Ainda vejo muita gente perdida na sala de entrevista, que não tem segurança nem clareza no momento de expor sua experiência ou explicar porque deseja a vaga.

Em particular, os profissionais mais seniores enfrentam um desafio a mais. Em geral, possuem mais experiência e remuneração mais elevada o que por si só reduz o número de oportunidades. Acredito que além do processo tradicional de recrutamento uma boa rede de relacionamento ativa pode auxiliar a transição.

Essas e outras informações sobre tendências de contratação e remuneração para 2017, você encontra no recém lançado Guia Salarial 2017 da Robert Half. Há quase uma década, apresentamos ao mercado projeções salariais para oito grandes áreas. Se você pensa em fazer qualquer movimento de carreira, consulte o guia para conhecer as principais oportunidades e ter argumentos em uma possível negociação salarial.

Comentários