Google Hummingbird: o impacto do novo buscador para seu negócio | EXAME.com
São Paulo
Germano Luders
Carregando

Google Hummingbird: o impacto do novo buscador para seu negócio

Gustavo Macedo

SEO - Google Hummingbird

Google Hummingbird

No dia 27 de setembro de 2013 o Google não só comemorou seu 15º aniversário, como também anunciou uma grande atualização no seu popular mecanismo de busca, apelidada de “Hummingbird” (beija-flor em inglês). A referência ao pássaro se deve justamente à agilidade e precisão conferidas pela atualização à ferramenta.

Ao contrário das últimas atualizações nomeadas Penguin e Panda, o Hummingbird se destaca pela maneira como o Google interpreta diferentes tipos de consultas, obtendo o real significado atrás de cada termo pesquisado. Importante salientar que as demais atualizações foram ajustes em cima de um mesmo algoritmo matemático criado em 2001. Desta vez, o Google lançou um mecanismo totalmente novo.

Entendendo o Google Hummingbird

Já sabemos que o Google se integrou definitivamente às nossas vidas cotidianas. Recorremos à busca diversas vezes por dia, desde uma pesquisa acadêmica até uma pergunta corriqueira como “qual a idade do Silvio Santos?”. Quando achávamos que o mecanismo de busca já estava evoluído o suficiente, eis que o Google se reinventa: agora, o novo algoritmo tem como objetivo analisar o modo como os termos de busca são escritos, palavra a palavra, para oferecer melhores respostas às perguntas dos usuários. Na prática, é uma melhora na compreensão da intenção do usuário ao realizar uma pesquisa. Além disso, o algoritmo lidará melhor com pesquisas por conversação, considerando o número crescente de usuários de busca móvel e de pesquisa por voz.

Impacto do Hummingbird

O que esta mudança significa para os usuários?
A busca ficou ainda mais intuitiva, ou seja, os usuários terão mais facilidade para chegar ao conteúdo desejado. Os resultados da busca exibem respostas mais eficientes para as necessidades dos usuários.

O que esta mudança significa para seu site?
Segundo o Google, não há nada de novo com que precisamos nos preocupar neste momento. De qualquer forma, baseados nas mudanças do comportamento do algoritmo, entendemos que algumas coisas tornam-se cada vez mais importantes. A “bola da vez” é o contexto do seu conteúdo e ele deve ser profundo e rico.

A era do contexto

Cada vez mais as buscas são baseadas em perguntas, como : “como fazer… ? “, “onde está o mais próximo… ? “, “onde eu posso conseguir…?”, etc. Interpretando essas frases mais longas, o Google precisa fornecer resultados diferentes para cada uma delas baseado em contexto. Para isto, precisa detectar a intenção da pesquisa, dividindo-a em três categorias: navegacionais, informativas e transacionais. Verifique se o seu conteúdo abrange cada um dos três tipos de busca: buscas navegacionais são caracterizadas pela intenção de encontrar um site específico, por exemplo, “site da adidas brasil” ou apenas “nestlé”. As buscas informativas se caracterizam pela intenção de encontrar algo específico ou tirar uma dúvida, por exemplo, “dicas de maquiagem” ou “marcas de purificador de água”. Já as buscas transacionais ocorrem quando há a intenção de realizar alguma atividade, por exemplo, “alugar carro em sp” ou “onde fica o starbucks mais próximo”.

Aumentar o detalhe do conteúdo, principalmente em páginas de produto/serviço, que geralmente são mais pobres, aumentarão as chances dele ser resposta a uma gama mais ampla de expressões de busca. Além disto, permitir que os visitantes possam compartilhar e comentar pode ajudar a manter o conteúdo popular e fresco.

Atenção à busca universal

Outro ponto importante é nos atentarmos à busca universal, que exibe elementos mais visuais, além dos resultados em texto, como vídeos, imagens, avaliações, etc. Este tipo de resultado já existia antes do Hummingbird, no entanto, agora eles serão ainda mais utilizados, uma vez que a intenção da busca será detectada. Por exemplo, para buscas por “exercício de tríceps em casa”, vídeos com este treinamento sejam resultados bastante relevantes. Já para uma busca por “lojas de móveis na Mooca”, mapas listando os estabelecimentos seriam resultados ideiais. Proporcionando este tipo de conteúdo, você pode gerar tráfego extra para seu site utilizando diversos canais. Para isto, você pode considerar ampliar a presença da sua marca criando uma lista no Google Maps, produzindo vídeos para o YouTube e otimizando as imagens do seu site para o Google Images.

Oferecer um site mobile também tornou-se fundamental, uma vez que a busca por voz está cada vez mais sendo utilizada nestes dispositivos, para isto, é recomendável o design responsivo (que adapta o conteúdo da página conforme o dispositivo e resolução do visitante). Neste cenário, exiba apenas o essencial para a versão mobile e sempre pense em contexto. Um visitante desktop ao acessar o site de um restaurante talvez esteja interessado em saber mais informações sobre o local, ver fotos do estabelecimento ou ler o cardápio. Já um usuário mobile, muitas vezes quer apenas saber informações cruciais como o endereço ou o telefone do restaurante. Exibir estas informações de forma rápida e clara a este público pode ser um fator muito importante. Ainda dentro deste tema, vale ressaltar que o Google investe cada vez mais na busca móvel, priorizando resultados com base na localização dos usuários. Neste caso, trabalhar nas páginas informações como endereço, CEP, nome da rua e telefone são fatores que ajudarão na busca local.

Conclusão

O Google Hummingbird concentra-se no significado por trás das palavras, compreendendo melhor a intenção de uma busca. Sabendo disto, entramos numa era baseada em contexto, onde sua página será relacionada se ela apresentar o melhor conteúdo contextualizado para cada tipo de consulta. Isto significa que precisamos adaptar o conteúdo pensando em três tipos de comportamentos: navegacionais, informativos e transacionais.

Traçar uma nova estratégia, pensada neste novo cenário de busca, pode ser um fator de sucesso para a performance de suas campanhas de marketing digital.

Comentários