Mídias Sociais | EXAME.com
São Paulo
Germano Luders

Mídias Sociais

Carregando

Ingenuidade de internauta viraliza ação da BMW

Mariela Castro

De ontem para hoje, redes sociais bombaram com a foto de uma viatura da Polícia Militar de Santa Catarina – uma BMW 335i novinha em folha. O episódio, cheio de versões replicadas sem o mínimo de avaliação, serve para ilustrar o quanto a humanidade ainda engatinha no quesito “pensamento crítico” em relação ao que consome e compartilha online.

bmw oficina

Houve quem propagasse – sem checar a veracidade — versões como “BMW vai doar 100 viaturas para PM e obter isenção fiscal por 25 anos”, obviamente refutada tanto pelo Comando da PM catarinense quanto pela BMW.

Outras versões davam conta de que o Governo de Santa Catarina estaria comprando veículos da montadora alemã, que acaba de instalar uma fábrica em Araquari, perto de Joinville. Não faltou uma chuva de críticas ácidas a essa “notícia”, especialmente seguindo na linha de “dinheiro para comprar carro caro tem, mas para pagar um salário decente para os policiais ou colocar gasolina nos veículos já existentes na frota, não”.

E dá-lhe circular a foto nos grupos do Whatsapp, no Facebook, no Twitter. Os que pararam para olhar com mais cuidado a informação perceberam logo que era uma ação de marketing da BMW, aproveitando as comemorações dos 180 anos da PM de Santa Catarina. A montadora “plotou” um modelo 335 para ilustrar como seria uma BMW com roupagem de viatura, e a colocou ao lado de outros veículos utilizados pela corporação ao longo de sua história, em uma exposição em um shopping no município de São José, pertinho de Florianópolis. Só isso.

É válido o questionamento se a ação de marketing não foi um tiro no pé, pois ao invés de valorizar a marca, estaria associada a um suposto mau uso do dinheiro público, um “esbanjamento” que denegriria a imagem da BMW. Mas não é isso que estamos discutindo neste post. O nó da questão é o quanto os internautas são capazes de replicar sem pensar uma informação muitas vezes manipulada e alterada só para causar furor.

BMW exposiçao

Fotos: ClicRBS

A viralização da foto mostra que as pessoas gostam da polêmica, do barulho, mas não se preocupam nem um minuto se estão ajudando a propagar uma informação completamente equivocada. Bastaria olhar a foto de outro ângulo – o ambiente da exposição de carros – para entender a verdade. Mas a limitação de pensamento chegou às raias do absurdo: houve gente que, mesmo ao pé da notícia verdadeira, foi capaz de escrever comentários indignados porque “a PM de Santa Catarina está comprando BMW” ou, ao contrário, “finalmente teremos uma frota de primeiro mundo”. Não leu a matéria, cidadão? Então leia, antes de simplesmente emitir uma opinião.

As redes sociais são um ambiente democrático, livre e excelente para compartilhar conteúdo. Mas, do lado negativo, são terreno fértil para ignorantes, inconsequentes e manipuladores exercerem seu poder de “ter voz”, colaborando para criar cenas que não existem, fomentando ódios e replicando notícias bombásticas sem sequer cogitar, por um minuto apenas, que elas podem ser falsas.

Claro, houve quem distribuísse a foto da viatura da BMW como gozação, brincadeira. Mas muita, muita gente levou a sério.

Enquanto não houver uma educação digital, capaz de ajudar as pessoas a discernir o que estão consumindo e principalmente o que estão reproduzindo na internet, continuaremos a ver um monte de bobagens circulando e influenciando de maneira negativa a cultura e o conhecimento.

Atualização em 20.05 às 18h00 — Recebi hoje um email do Major Aires Volnei Pilonetto, chefe de Jornalismo da Comunicação Social da Polícia Militar de Santa Catarina, comentando este post. Ele esclareceu os detalhes do caso, que reproduzo a seguir:
“Em 05 de maio a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC) completou 180 anos. Dentre as atividades comemorativas, o Centro de Comunicação Social da PMSC está promovendo uma exposição de veículos, cujo tema é “Polícia Militar – Ontem, Hoje e Amanhã”. Vários veículos estão expostos até o dia 24 no Continente Park Shopping. São veículos usados como viaturas no passado, outros ainda em uso, e a BMW 335i com a visão de futuro.
O veículo foi cedido para uso neste evento, sem custos, pela BMW Top Car, concessionária BMW no Estado. O veículo recebeu as plotagens nas cores da PMSC pela empresa Badu – Peças e Serviços, também sem custo aos cofres públicos. Duas imagens foram feitas ainda na empresa de plotagem, sendo estas as que mais circularam nas redes sociais.

[por Mariela Castro]

Usando diagramas para planejamento de marketing digital

Mariela Castro
marketing-featured-web

foto: Shutterstock

Muitas ideias morrem na praia por falta de planejamento adequado. É fácil a gente se apaixonar por uma ideia – difícil é verificar se ela é inovadora, atraente e principalmente viável. São muitas as variáveis envolvidas, da concepção ao estudo financeiro.

Em se tratando de mídias digitais então, aí complica. Complica porque a velocidade nesse ambiente é muito maior. O nível de familiaridade das pessoas com as novas tecnologias e mídias digitais é cada vez mais alto e adquirido em velocidade estonteante.

Tarefa árdua para o marketing das empresas é acompanhar tudo isso e ainda assim conseguir conquistar consumidores e manter relacionamentos deles com as marcas nas redes sociais e canais online.

Mas existem algumas técnicas que ajudam nesse planejamento.

Da mesma forma que as imagens são bastante úteis para transmitir mensagens seja em matemática, publicidade ou finanças, elas também ganham espaço na área de gestão e planejamento, porque ajudam a organizar o pensamento. Um dos conceitos mais difundidos é o de “mapas mentais”, concebido pelo escritor inglês Tony Buzan, para gestão de informações, memorização de aprendizado e solução de problemas.

A atratividade de representações gráficas despertou a atenção, aqui no Brasil, do professor e empresário André Lima Cardoso, que criou o Diagrama de Soluções Digitais (DSD), uma ferramenta para incorporar, em um só lugar, uma grande quantidade de dados espalhados em planilhas, relatórios e estudos.

O DSD promete ajudar o planejamento de marketing digital, na medida em que facilita a visualização de todos os fatores envolvidos em um só grande esquema. A ideia é o cerne do livro “Planejamento de Marketing Digital: Como posicionar empresas em mídias sociais, blogs, aplicativos móveis e sites”, que Lima Cardoso escreveu em parceria com o especialista em mídias sociais Daniel O. Salvador e o jornalista e escritor Roberto Simoniades.

O livro, que gira em torno do DSD, passa por todo o processo de produção de uma estratégia de comunicação até os seus passos finais, que incluem a medição de resultados a partir de métricas predefinidas.

Em um mundo extremamente visual, é preciso mudar de hábitos também no planejamento de marketing digital. Assim como as imagens desempenham um importante papel na transmissão de mensagens, seja na matemática, em informes publicitários ou no mundo corporativo, também no planejamento das ações as representações visuais podem substituir com mais clareza as extensas planilhas, relatórios e ferramentas tradicionais. Pense nisso quando for preparar sua próxima campanha.

[por Mariela Castro]

Dez vantagens das tecnologias colaborativas

Mariela Castro

A competência mais relevante no mundo corporativo hoje é a capacidade de fazer conexões – entre pessoas, entre ideias, entre tecnologias.

As conexões nascem da observação, amadurecem com o pensamento crítico e culminam em inovação. É um ciclo virtuoso que, por sua vez, exige atenção e método. Porque as informações estão por aí, como fios soltos e aleatórios, e para transformá-los em um tecido étecnologias colaborativas preciso gerar conhecimento, incorporar valor, pensar em soluções.

Comodidade dez, privacidade zero

Mariela Castro
Illustration Works/Corbis

Illustration Works/Corbis

Claro que você já percebeu. Sua vida não é mais a sua vida. Ela pertence aos aplicativos e à internet. Você entra no carro, liga o Waze para ver o trânsito e, dependendo do horário, o aplicativo já te pergunta se você está indo para determinado lugar – porque já reconhece seus trajetos usuais. Você entra no site da Amazon para comprar um livro e o site, com base em suas pesquisas e compras anteriores, já te mostra sugestões afins. Você escolhe pelo Airbnb uma casa para passar as férias, envia uma solicitação de reserva para o proprietário e se, 24 horas depois, não obtiver resposta, o site sabe e já te envia um pedido de desculpas e opções de casas semelhantes.

Isso é fantástico e ao mesmo tempo assustador. Os sites e aplicativos estão cada vez mais inteligentes e… sabem TODOS os nossos movimentos. Muita gente sequer percebe. Ou, se percebe, se sujeita a fornecer dados para ter em troca a economia de tempo e a comodidade.

Por que as redes sociais fazem tanto sucesso

Mariela Castro

panorama-des-reseaux-sociaux-dans-le-mondeVamos ao que interessa: para que servem as redes sociais? Compartilhar, diria a maioria, se fosse limitada a escolher uma só palavra. Claro, é inegável que, por meio das postagens, sabemos das férias dos amigos, do casamento de outro, da opinião política de um terceiro, do vídeo que está bombando, e até da morte de alguém que conhecíamos. Estamos em contato com pessoas com as quais, de outra forma, dificilmente conviveríamos – ainda que essa convivência seja virtual.

No entanto, há um outro aspecto das redes de relacionamento digitais que pouca gente se dá conta e que é muito mais intenso. Se prestarmos atenção, há uma profusão de posts (no Facebook, principalmente) de pessoas expondo suas aflições, dificuldades familiares, desavenças ou frustrações. Essas postagens, que mostram o lado menos glamouroso de todos nós, fazem o gênero a-vida-como-ela-é e têm um objetivo mais sensível: buscar conforto emocional, solidariedade, empatia, compaixão.