Por que insisto em colocar os gastos no papel? | EXAME.com
São Paulo
Germano Luders
Carregando

Por que insisto em colocar os gastos no papel?

Mauro Calil

Para aqueles que trabalham ou lecionam sobre educação financeira há um conselho unânime, uma regra básica a ser seguida à risca. Quem deseja ter sucesso financeiro ou equilibrar as contas precisa colocar todos os gastos no papel.

Visualizar os gastos é importante e o modo de fazer isso é muito particular. Pode-se fazer em uma planilha no computador ou em um caderno. Pode-se também registrar os gastos diariamente ou reunir todos os comprovantes e registrar de uma só vez no controle no final de semana. Dessa maneira a forma não importa muito, mas a regularidade e a fidelidade nos dados, inclusive dos centavos, irão revelar como anda sua vida financeira.

Isso pode parecer um discurso repetitivo, mas o detalhamento dos nossos gastos é como se fosse uma radiografia das nossas finanças. Quando detalhamos e visualizamos todas nossas despesas, conseguimos enxergar com o que gastamos, quais são os desperdícios, quais são nossas obrigações mensais e como é o nosso padrão de consumo.

Tenho o costume de dizer que um bom planejamento financeiro, que nos dê segurança, precisa considerar o que acontece em cada fase da nossa vida, pois em cada uma delas haverá diferentes demandas, necessidades, estímulos e desejos. E para que todas, ou grande parte delas, possam ser supridas da melhor forma possível é ideal ter uma estratégia pré-definida. Aos 20 anos você pode desejar cursar uma universidade, fazer uma viagem, comprar um carro. Já aos 30 anos você quer uma casa, por exemplo, e assim sucessivamente.

Mas independente do sonho que cada um de nós possui, devemos compreender que o dinheiro pode chegar até nós de diversas formas. Pode ser pelo nosso trabalho, renda extra, mesada dos pais, herança etc. Mas ele pode acabar e faltar em uma velocidade muita rápida. E aí vêm as conclusões mais óbvias, como, por exemplo, o salário acaba antes de chegar o final do mês e não conseguimos honrar todos os nossos compromissos.

É nesse momento em que nos perguntamos: “Para onde está indo o dinheiro?”. O início do sucesso do planejamento financeiro será com uma planilha detalhando todos os seus gastos. Muitos pensam só nos gastos mais altos, como a parcela do carro ou da casa, um curso etc, mas deixam passar o cafezinho, o happy-hour e algum presente de aniversário inesperado, por exemplo. Se o dinheiro do cafezinho, do pãozinho e de tantos outros gastos pequenininhos não forem computados, todo mês será igual ao anterior: com falta de dinheiro e torcendo para que o mês seguinte e o salário cheguem logo (um desejo que não faz desaparecer as dívidas).

A prática no início pode parecer penosa, mas garanto que esse é o passo inicial do processo de enriquecimento. Não custa nada lembrar que como qualquer outra atividade em nossa vida, formar um bom patrimônio requer disciplina e tempo. O correr do tempo não está em nossas mãos, mas a disciplina nas nossas finanças pode ser controlada desde já.

Pense nisso e comece a executar o seu sucesso financeiro.

 

Comentários