Trump, o Lula americano ou o novo Biff? | EXAME.com
São Paulo
Germano Luders
Carregando

Trump, o Lula americano ou o novo Biff?

Fábio Pereira Ribeiro

O dia de hoje foi engraçado. Os brasileiros mais brigaram e torceram do que os americanos. As redes sociais foram um verdadeiro palco repleto de palhaços, no bom e no péssimo sentido.

Alguns políticos potencializaram suas bizarrices de idéias, e até mesmo um Bolsa 2018, quem sabe vai que cola? Brasileiro precisa ser estudado pela NASA, entre transformar Trump em Hitler, ou até mesmo em candidato brasileiro de direita, a coisa até terminou no comparativo com Lula, e olha que de gente catedrática. Mas com razão. Com o cansaço do discurso da esquerda, que fala, fala, fala e no fim termina no mais do mesmo, o Trump ganhou. E não me venham com o discurso de conservadorismo, até porquê o histórico empresarial de Trump, de fato, não dá sinais para que ele seja um conservador.

No seu discurso já usou os chavões de “unificação” e “aproximação”, o mesmo que Lula sempre fez, mas que no fim, o que reinou foi a discórdia e o ódio pelo único interesse de perpetuação do poder.

Como diria a “tchurma” da esquerda, com Trump vai ter sim, mais de 1.600 novos caças, mais de 500.000 novos soldados, mais de 300 novos navios de guerra, além de liberar o porte de armas para todos os Estados americanos. Além disso, Trump terá uma relação carnal do ponto de vista econômico com a Rússia. O Brasil poderá ficar de fora, Brics, já era.

No dia 09 de novembro de 1989 o Muro de Berlim caiu, no dia 09 de novembro de 2016 o Muro do México cresceu. Ah, mas o Trump não governará sozinho, tudo bem, ele também terá a maioria no Congresso.

Bom, no fim, tudo pode não acontecer, e ele ser uma grande surpresa, mas por enquanto, a loucura está feita. Como diria um amigo que gosta de gozação, “que os americanos sejam bem vindos ao clube da ignorância, assim eles sentirão na pele o que sofremos durante 13 anos”.

God Bless América, and Brazil! Até porquê no fim, sempre sobra para o Brasil. E cá entre nós, acredito que os americanos não tinham escolhas. Espero que Trump não seja o Biff do filme “De volta para o Futuro — Parte II”. Assim, tudo pode ser tranquilo, não é McFly?

biff

Comentários