Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 -0,61%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Sua ideia é única o suficiente para ser uma startup? Descubra

Você nunca saberá se sua ideia é boa até tentar. Mas há formas de você limitar as perdas caso não dê certo. Confira:

Como saber se minha ideia é original o suficiente para iniciar uma startup?

Lembremos: no mundo dos negócios, não há garantias. Se quiser tornar-se um empresário, deverá aprender a conviver com o risco e com a incerteza.

Você já deve conhecer, e também já deve ter lido inúmeras vezes, as estatísticas que periodicamente apontam para um número extremamente elevado de fracassos de empreendimentos. Aproximadamente 80% dos novos empreendimentos não sobrevivem ao quinto ano de existência. Com pequenas diferenças, esses números se reproduzem em quase todos os lugares do mundo.

Os teóricos do empreendedorismo em geral apontam à falta de planejamento do empreendimento como sendo a principal causa para tanto. Será?

Lembremos ainda que uma alta porcentagem de empreendedores acumula uma série de insucessos prévios até eles acertarem e se tornarem bem sucedidos. Não é por outro motivo que uma das principais competências apontadas para um empreendedor é a persistência. E a “Lei de Paretto”? Será que explica o alto número de “fracassos”?

Todas essas questões estão finalmente sendo abordadas, estudadas e difundidas. Todas elas lidam com a incerteza, a complexidade e o acaso.

As pessoas em geral não gostam da incerteza, pois incerteza é o oposto ao previsível. E nós gostamos de tudo o que seja previsível. Até nas grandes empresas, diretores e gerentes adoram a previsibilidade e têm enormes problemas para lidar com o imprevisível.

Não é por outra razão que estão meio “perdidos” descobrindo como lidar com a “digitalização”, com consumidores “infiéis” e com a mudança acelerada.

Então, respondendo a sua pergunta de forma objetiva, você nunca saberá até tentar.

Há formas de você limitar as perdas caso não dê certo. A principal delas é a de estar sempre perto do cliente.

Com os meios de telecomunicação, a internet e a informática a nossa disposição, com as mídias sociais, podemos consultar o cliente (ou o potencial cliente) e saber dele se a nossa ideia é suficientemente diferenciada como para atrair a atenção e tornar o produto um campeão de vendas.

Os clientes, por sua vez, adoram poder ajudar a quem deseja fornecer-lhes produtos e serviços que desejam. O “Lean Startup” oferece um mecanismo de criação de protótipos a serem testados com os clientes antes de entrar de cabeça em uma nova ideia. Pesquise na internet.

Mesmo que tenha um “campeão de vendas” nas mãos, este fato ainda não é garantia de sucesso. Uma administração eficiente e eficaz do negócio, e a capacidade de criar hábito de compra nos seus clientes são condições adicionais para o sucesso sustentável.

Como sempre, mais uma vez, boa sorte! Até a próxima.

Cristian Welsh Miguens é professor do curso de negócios da Universidade Anhembi Morumbi.

Envie suas dúvidas sobre startups para pme-exame@abril.com.br.