Startup conecta lojas virtuais e ONGs para captar doações

Por meio de um app para Chrome, O Polen oferece ao usuário a oportunidade de destinar parte do valor de suas compras em lojas virtuais a doações

São Paulo – A startup O Polen, criada pela dupla de empreendedores Fernando Ott e Renata Chemin, desenvolveu uma nova forma de realizar doações para instituições pela internet, ajudando a solucionar um problema encontrado por eles no terceiro setor.

“As ONGs têm dificuldades em captar recursos para manter seu impacto e gastam mais da metade de seu tempo trabalhando com a arrecadação ao invés de dedicar à sua causa”, explica Renata, COO da startup.

Por meio de um aplicativo para o navegador Chrome, O Polen oferece ao usuário a oportunidade de destinar parte do valor de suas compras em lojas virtuais a doações para ONGs e instituições de caridade sem qualquer custo adicional.

Para realizar a doação, basta que o comprador, ao finalizar o pedido, escolha dentro do app a ONG com que deseja contribuir.

A plataforma lançou no dia 22 deste mês uma versão mais completa e já conta com 35 instituições parceiras. Entre elas, estão Abrinq, Instituto Ronald McDonald, Instituto da Criança e Teto Brasil e mais de 100 e-commerces, como Walmart, Gol, Submarino e Aliexpress.

“A ferramenta é o meio ideal para que usuários, empresas e o terceiro setor possam se encontrar e praticar ações sociais de forma rápida, prática e segura e sem maiores custos para nenhuma das partes envolvidas no processo de doação, o que é melhor ainda”, comenta Fernando Ott, CEO da startup.

Para serem beneficiadas, é necessário que as ONGs solicitem a parceria e realizem um cadastro enviado pela curadoria do O Polen.

Nesse documento algumas informações, como Certificado da OSCIP, Cartão de CNPJ e certidões negativas estadual e federal da instituição e criminais dos sócios são essenciais para a conclusão do processo de aprovação.

As lojas virtuais ingressam no projeto via sistema de afiliados de dois parceiros do O Polen: Lomadee e Zanox.

Nesse modelo, os e-commerces doam uma comissão percentual de cada compra realizada, uma vez identificado que o consumidor foi impactado pela campanha divulgada pelos parceiros. Parte desse valor é repassada ao O Polen, que distribui às ONGs escolhidas pelo usuário no momento da aquisição do produto.

Aceleração

A startup já passou por dois processos de aceleração e está prestes a acabar o terceiro. O primeiro, em Vitória, pela aceleradora Start You Up, para desenvolvimento do modelo de negócio, tornando-o escalável a nível global. Os outros se iniciaram simultaneamente, com a inglesa DotForge e a chilena Startup Chile, que ainda está em processo.

“Os programas estão sendo importantíssimos para nós, pela visão de mundo que ganhamos no contato com esses dois países. Existe uma diferença drástica não só ecossistema empreendedor inglês e chileno como também no terceiro setor desses países. Foi um grande desafio se adaptar e começar a de fato desenvolver nosso negócio”, comenta a COO.

Para os sócios, a demanda por responsabilidade social é crescente e a experiência no Chile deixou clara a necessidade de soluções para arrecadação no terceiro setor dos países sulamericanos, viabilizando a expansão do browser app O Polen para a América Latina.

Já na Europa, soluções para ONGs não são novidade, mas a busca para este setor é muito grande. “Aproveitamos a expertise da aceleradora inglesa e já estamos nos preparando para lançar nosso mobile app na Inglaterra, que em breve traremos para o Brasil também”, completa Renata.