Qual a melhor hora para receber um investimento?

Especialista explica que, às vezes, a falta de investimento estimula a criatividade dos empreendedores

Qual a melhor hora para receber um investimento?

Respondido por Cassio Spina, especialista em startups

Muitos empreendedores poderão questionar o que eu irei afirmar aqui, mas muitas vezes não ter investimento pode ser melhor para sua startup em determinados momentos. Dizem que a falta de dinheiro é a mãe da criatividade, pois inovação é um dos grandes diferenciais de qualquer startup e a história demonstra que muitas grandes ideias surgiram em momentos de grandes dificuldades e desafios.

Vale lembrar que excesso de dinheiro faz mal, pois pode criar a zona de conforto em que não há um senso de urgência para execução das atividades essenciais que irão gerar os resultados esperados.

Durante a época da bolha da internet, foram clássicos os casos de empresas que captavam dezenas e até centenas de milhões de dólares de investidores e se sentiam na obrigação de gastá-los ao invés de buscar atender uma demanda real do mercado que pudesse garantir sua perenidade.

Em função de todos os aprendizados daquela época e, na minha opinião, um pouco da recente crise financeira internacional, um movimento que vem ganhando força é o lean startup, pregando que as empresas devem começar o mais enxutas possíveis, criando produtos simples (o chamado Produto Mínimo Viável, ou MVP na sigla em inglês), para testar sua aderência e demanda pelos consumidores, e então escalar o empreendimento.

Assim, o investimento ideal deve vir exatamente neste estágio, em que se já tem uma comprovação de que a startup está pronta para crescer. Se o mesmo vier antes, corre-se o risco de tentar forçar o crescimento de um produto não maduro o suficiente, não só desperdiçando os recursos, mas muitas vezes a própria chance de dar certo.

A busca de investimento não pode ser um fim em si, pelo contrário, obtê-lo é só o começo de uma startup. No processo de captação, deve-se pensar e planejar o negócio e não apenas como irá justificar sua captação, pois o investidor irá sempre avaliar se o capital solicitado não é maior do que o necessário, podendo comprometer o timming da execução.

Cassio A. Spina foi empreendedor por 25 anos, é investidor-anjo e fundador da Anjos do Brasil.

Envie suas dúvidas com a palavra startups no assunto da mensagem para examecanalpme@abril.com.br