Os principais desafios para mulheres empreendedoras

É mulher e quer empreender? Veja quais desafios você vai encontrar (e prepare-se para superá-los).

Os principais desafios para mulheres empreendedoras

O ato de empreender por si só já é um grande desafio. Iniciar um negócio, passar por todas as fases do seu desenvolvimento e se manter no mercado é hoje um processo muito mais desafiador do que no passado.

Isso ocorre por diversos motivos, entre eles, o avanço e a rapidez com que a tecnologia surge e impacta no forma de fazer negócio e de consumir e no aumento da concorrência.

Tais aspectos vão exigir muito mais proatividade e competências do empresário que resolve empreender.

Para a mulher que decide empreender não é diferente. Ela enfrentará os mesmos desafios de qualquer empresário, porém tende a enfrentar dificuldades maiores pelo fato de ser mulher.

Infelizmente ainda vivemos em um mundo onde as mulheres sofrem algum tipo de preconceito e, no meio empresarial, isso acontece com mais frequência.

Dentre os principais desafios que a mulher enfrenta para empreender podemos destacar:

1 – Vida pessoal

O primeiro e mais comum é a capacidade de conciliar a vida pessoal com o negócio. A criação dos filhos, cuidar da casa, dar atenção ao marido e ainda administrar um negócio é muito desafiador para a mulher.

A situação mais frequente é quando ela começa empreender antes do casamento e, quando se casa e chega o primeiro filho, ela entra em um dilema muito grande e enfrenta dificuldades para conciliar tudo.

Algumas chegam a deixar o trabalho ou entregar a empresa para outra pessoa administrar, por aspectos mais emocionais do que financeiro, como o sentimento de culpa por deixar o bebê na escolinha ou com uma babá.

2 – Preconceito

O segundo desafio maior que a mulher enfrenta é o preconceito por parte dos homens no meio empresarial.

Ela ainda enfrenta descriminações no mundo empresarial e, com isso, fazer o seu negócio próprio prosperar pode ser muito mais desafiador, principalmente se a clientela de seu negócio for outras empresas e não o cliente final.

Em algumas situações é exigido que ela ateste sua capacidade de empreender e oferecer um serviço ou um produto de qualidade a todo tempo.

Hoje o mundo já não é o mesmo. Empresários ou consumidores que praticam a discriminação com relação à capacidade da mulher de empreender estão ultrapassados, não cabe mais esse tipo de atitude.

Uma pesquisa realizada pelo Sebrae mostra que as mulheres já são 44% dos empreendedores estabelecidos. É um número muito expressivo, que demonstra que elas vieram para ficar e constituir negócios de sucesso também.

Lyana Bittencourt é diretora de marketing e desenvolvimento do Grupo Bittencourt.

Envie suas dúvidas sobre empreendedorismo feminino para pme-exame@abril.com.br.