Por que o autoconhecimento é essencial antes de empreender

Essa reflexão do autodescobrimento se torna ainda mais importante para aqueles que pretendem migrar de uma carreira executiva para um voo solo como empreendedor

Você se conhece o bastante para empreender?

Respondido por Cynthia Serva, especialista em empreendedorismo

Se você estiver pensando em empreender me permita uma dica: faça um exercício de autoconhecimento antes de tomar qualquer decisão! O autoconhecimento é a base para construir a confiança em si mesmo, confiança essa que é necessária para empreender. Se conhecer lhe permitirá se sentir mais confortável na tomada das decisões mais difíceis que estarão por vir ao iniciar uma jornada empreendedora.

O autoconhecimento irá ajudá-lo, por exemplo, a diminuir o medo do fracasso que é inerente ao se iniciar um novo empreendimento. É ele também quem irá lhe mostrar se o momento é de seguir em frente, de esperar ou de recuar. Saber sobre nossas potencialidades e fraquezas torna mais fácil evitar possíveis erros e também nos permite extrair o máximo das nossas forças.

Quanto mais tempo dedicarmos a nos conhecermos melhor, mais isso nos possibilitará de sermos mais assertivos nas escolhas que precisaremos fazer. Não só ao empreender, mas em todas as decisões de nossas vidas. Ao investir no autoconhecimento será possível também saber com mais precisão quais são os seus verdadeiros interesses pessoais e o que você de fato gosta de fazer.

Esse processo poderá te ajudar a sinalizar qual setor de atuação é mais indicado de acordo com seu perfil. Ou até mesmo algum insight para uma possível ideia de negócio que talvez ainda não tenha sido considerada.

E essa reflexão do autodescobrimento se torna ainda mais importante para aqueles que pretendem migrar de uma carreira executiva para um voo solo como empreendedor. Porque deixar de ser funcionário em uma empresa e virar dono de uma empresa significa uma nova etapa repleta de desafios.

É importante destacar que algumas pessoas escolhem empreender pelos motivos errados, sejam financeiros ou pessoais, e o autoconhecimento nesse momento irá ajudá-lo a decidir.

Alguns, por exemplo, querem se arriscar como empreendedores por se sentirem incomodados com a atual situação profissional. Acreditam que não tem o devido reconhecimento. Isso pode ser uma justificativa que faz sentido, mas não é motivação suficiente para empreender.

Um dos maiores erros é acreditar que não terá chefe. Lembre-se que você terá o mais exigente de todos os chefes: o cliente! Não se esqueça que abrir uma empresa demanda uma visão mais sistêmica, uma visão do todo que talvez nunca tenha sido necessária ou exigida na condição de funcionário.

Entre tantos desafios, o empreendedor será responsável não apenas pelo planejamento da empresa, mas também pela gestão e operacionalização. Deverá tomar decisões rápidas e liderar pessoas. Você é capaz de se imaginar em uma dessas situações? É confortável se imaginar nessas situações? Outro motivo clássico que muitos sinalizam ao se decidir em empreender é o de querer empreender pelo retorno financeiro.

Os que têm apenas o gatilho financeiro como principal motivação dificilmente conseguirão vencer as dificuldades que estarão por vir. Dificuldades que fazem parte do processo e que demandam resiliência. O retorno financeiro precisa ser encarado como consequência.

Portanto, ao empreender é preciso que se tenha um propósito. E somente se conhecendo verdadeiramente é que será possível descobrir seu verdadeiro propósito e de que forma viabilizá-lo!

Cynthia Serva é coordenadora e professora do Centro de Empreendedorismo do Insper.