As pistas de que sua startup não terá o resultado esperado

Quer saber se sua empresa está no rumo certo? Para isso, você precisa se certificar de que não está tomando as decisões de forma errada. Veja essas dicas:

Como administrar uma startup para que dê o resultado esperado?

Antes de responder a pergunta, vamos ver quais os motivos pelos quais uma startup pode não apresentar o resultado esperado.

a) Ausência de planejamento;
b) Planejamento mal feito;
c) Implementação do planejamento mal executado;
d) Acreditar que o plano não precisa de alterações na medida em que vai sendo implantado e executado.

Da lista acima concluímos que a primeira questão é planejar de forma adequada. Em geral temos uma ideia errada do que seja planejamento. Um bom plano nos ajuda a não perder de vista os objetivos e metas e os meios para atingi-los. Obriga-nos a fazer um exercício mental sobre todos os detalhes do negócio.

O planejamento engessa as decisões apenas se o empreendedor permitir. Se se verifica algum erro, se mudam as premissas, se aparece um fato novo, é preciso mudar o plano e ajustar as ações para adequar o negócio e a execução do plano à realidade.

Este ciclo, o de planejar, definir um plano de ação, executar o plano, verificar se ele se desenvolve conforme esperado, corrigir o plano e reiniciar o ciclo é a metodologia PDCA (Plan, Do, Check, Action). Você pode obter mais detalhes consultando na internet Métodos de Análise e Solução de Problemas (MASP). A metodologia é simples e de fácil compreensão. Já a sua execução, requer muita disciplina.

Um erro comum cometido na gestão da startup é o de esquecer e deixar de ouvir o cliente. Permita que o cliente (ou o potencial cliente) lhe ajude, ouvindo suas queixas e sugestões. Incentive-o a ficar permanentemente em contato com a empresa.

Desenvolva mecanismos que facilitem esse contato. Você vai se surpreender com a qualidade e boa vontade das pessoas para lhe ajudar a resolver os problemas da empresa e, ainda, de graça!

O outro erro comum é esquecer que você terá concorrentes e que eles não ficarão quietos observando o seu sucesso. Tente sempre antecipar-se. Inclua nas premissas que servirão de base aos seus planos que a cada ação diferenciada sua haverá algum tipo de reação dos concorrentes. Planeje como os enfrentará. Durante a execução, monitore os concorrentes e as suas ações. Então, mais uma vez, adeque o plano.

Nenhum empreendedor precisa ser um especialista em administração. Mas os problemas administrativos e de gestão, muitas vezes, precisam de especialistas. Empreendedores em geral conhecem muito bem o produto e o seu mercado. Mas têm enormes problemas com a administração geral do negócio, com a administração de pessoas, com a aplicação e o cumprimento da legislação e, muitas vezes, com a gestão financeira.

Deixe o orgulho de lado e peça ajuda. Se acreditar que seu negócio não comporta pagar por esse tipo de ajuda, sugira pagar por resultado. Não seja ganancioso, compartilhe o resultado da criação de valor do seu negócio com quem lhe ajuda a gerar esse valor.

E, se for solicitar ajuda, lembre-se que o barato sai caro. Procure profissionais competentes. Solicite deles boas referencias. Procure contato com quem já se utilizou dos serviços desse profissional. Se você não consegue desenvolver um vínculo de confiança com ele, não o contrate, continue procurando.

E nunca, nunca mesmo, delegue para pessoas de fora da empresa a decisão final sobre as sugestões fornecidas pelos especialistas contratados. Se não estiver convencido, questione, questione e questione até se convencer, ou não, de que o sugerido vai lhe trazer benefícios.

Feito, agora já tenho a fórmula do sucesso!

ENGANO SEU! No mundo dos negócios não há garantias. O risco sempre existe. Mesmo fazendo tudo certo, o negócio pode dar errado. Fazer as coisas certas aumenta as chances de que o negócio dê certo. Mas, não garante que vai dar certo. Seja bem vindo à vida e à dura realidade do empreendedor! E, como sempre, boa sorte!

Cristian Welsh Miguens é professor do curso de negócios da Universidade Anhembi Morumbi.

Envie suas dúvidas sobre startups para pme-exame@abril.com.br.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ViP Berbigao

    Essas publicações são um engodo. De cara o sujeito fala em falta de planejamento… E adianta planejar algo se o produto não tem mercado? Adianta transpor o Rio São Francisco se o Rio está sem água? Inocentes… como se milagre fosse possível. Só no campo das maracutaias de lavagem de dinheiro e esquemas de corrupção envolvendo políticos e filhos de políticos.

  2. Tudo lorota. Faça o produto consiga clientes e venda que dá tudo certo. Está cheio de gente conversando com dinheiro de fundos de investimento, mas a bolha, ou melhor o balão já está quase estourando. Um dia destes vi uma matéria de uma startup que está em incubação desde de 2009, isto mesmo e ainda não tem cliente. Ah! Deixe o empreendedor trabalhar sem falácias já estamod cheio disto!