Os documentos que você deve ler antes de entrar na franquia

Antes de ingressar num sistema de franchising, o interessado deve esclarecer todas as suas dúvidas sobre o tipo de negócio. Veja os documentos que você deve pedir:

Que documentos eu devo pedir antes de assinar o contrato da franquia?
Escrito por Eduardo Camillo Pachikoski, especialista em gestão de empresas

Para evitar frustrações, antes de fechar qualquer negócio, o interessado em se tornar um franqueado deve saber quais as opções de franquia se encaixam ao seu perfil pessoal e capacidade de investimento.

Cada franquia possui particularidades próprias e os riscos inerentes à atividade. Comprar uma franquia significa empreender o próprio negócio, assumir os riscos, definir metas e acompanhar seu cumprimento, enfrentar desafios pessoais e profissionais.

Mesmo com todo apoio do franqueador, a unidade aberta constitui um negócio “per se” e requer toda atenção, dedicação e muito trabalho. Aquele velho ditado “o gado só engorda aos olhos do dono” demonstra a verdadeira sabedoria popular.

Antes de ingressar num sistema de franchising, o interessado deve, inicialmente, esclarecer todas as suas dúvidas sobre o tipo de negócio, qualidades, problemas do setor, capacidade de geração de caixa, questões relacionadas à rede de franquias, necessidade de investimento, e ainda publicidade, suporte e assistência. Tudo isso muito bem detalhado em um budget de pelo menos dois anos.

Dessa forma, para a escolha da rede de franquias deve ser verificada a consolidação e credibilidade da franquia no mercado, sua estrutura e organização, bem como seu padrão de qualidade. Isso poderá ser verificado em visitas a unidades instaladas e também nas tratativas com a franqueadora.

Como todo negócio, a unidade franqueada precisará de investimentos, motivo pelo qual se deve ter certeza do montante inicial necessário para acomodar a aquisição da franquia, ponto comercial, instalações, decoração, equipamentos, estoque, equipe, além do capital de giro, custos fixos e retorno do investimento. Montar um fluxo de caixa com uma visão de curto e médio prazos é uma providência fundamental.

Não se deve assinar um contrato de franquia sem antes: ter acesso aos dados da franqueadora e de seus sócios; verificar os balanços e demonstrações financeiras da franqueadora de pelo menos os dois últimos exercícios; checar a existência de ações judiciais; conhecer a lista de franquias da rede; e ler atentamente a sempre importante Circular de Oferta de Franquia – COF.

Na COF vão estar detalhadas as regras principais da franquia e as obrigações do franqueado tais como: limites de território, preferência, exclusividade, não concorrência etc. É fundamental ler detalhadamente esse documento, “se ver” no negócio em seu dia a dia e avaliar se você se enquadra. Atenção: algumas franquias preveem o envolvimento direto do franqueado.

Finalmente, o interessado deverá analisar qual o tipo e o volume de investimento da franqueadora em publicidade, e o nível de suporte e assistência que ela oferece para a condução da franquia; se há serviços de orientação, treinamentos; manuais e apoio em campo.

Como todo negócio, o sucesso do franqueado depende do seu envolvimento direto no dia a dia da sua empresa, alinhar os seus valores com os da franquia, manter uma equipe de colaboradores capacitados e dedicados, investir no marketing local, compartilhar ideias e alternativas com a franqueadora. A parceria entre o franqueado e a franqueadora fortalece a troca de conhecimentos e relacionamento para garantir o sucesso da nova unidade.

Boa sorte!

Eduardo Camillo Pachikoski é sócio da PP&C Auditores Independentes.