O hambúrguer vegano que o Google queria comprar por milhões

A Impossible Foods pretende fazer comidas veganas com o mesmo sabor das originais. A ideia recebeu uma nova rodada de aportes neste mês.

São Paulo – Recriações vegetarianas ou veganas de comidas com carne costumam fazer os amantes da proteína animal torcerem o nariz. Apenas em São Paulo, por exemplo, mais da metade da população consome carne de forma excessiva.

Tantos bifes causam impacto tanto na saúde quanto no ambiente. Diante disso, uma startup resolveu criar carnes e laticínios sustentáveis, mas mantendo o gosto que os consumidores carnívoros adoram. Localizada no Vale do Silício (Califórnia), a Impossible Foods usa apenas plantas na formulação dos alimentos, procurando fazer “comidas impossíveis”.

Essa proposta atraiu até mesmo o interesse do Google, que ofereceu um valor entre 200 e 300 milhões de dólares pela compra do empreendimento em julho deste ano, segundo o The Information. Uma das fontes do site diz que as duas companhias não chegaram a um acordo sobre o preço de venda, o que teria frustrado o negócio. Vale lembrar que a gigante, que passou a se chamar Alphabet, investe em diversos ramos de negócio, muito além da internet.

Mesmo sem ter adquirido a startup, o Google ainda possui alguma presença. Isso porque o Google Ventures, braço de investimentos da companhia, participou da primeira rodada de aportes da Impossible Foods, no ano passado. Outros participantes foram Bill Gates e os fundos Horizon Ventures e Khosla Ventures. O investimento total foi de 75 milhões de dólares.

Neste mês, a startup teve uma segunda rodada de aportes, no valor de 108 milhões de dólares. A injeção de capital foi liderada pelo banco UBS e contou com a presença do fundo Viking Global Investors, além dos já investidores Bill Gates e Horizon Ventures.

Como funciona?

A Impossible Foods foi criada pelo bioquímico Patrick Brown, em 2011. Além de empreendedor, Brown leciona seu campo de estudo há mais de 25 anos na Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.

Segundo a empresa, tudo começa com uma análise em nível molecular dos produtos vindos de animais. Depois, há a seleção de vegetais e grãos para separar proteínas, gorduras e nutrientes de cada um desses alimentos. São escolhidos e combinados os componentes que dão o sabor e a textura pretendidos. O objetivo é recriar a “complexa experiência de comer carne e laticínios”.

A ideia foi posta à prova no primeiro prato da Impossible Foods: o hambúrguer, que ainda está em desenvolvimento. A comida conta, por exemplo, com uma imitação do sangue visto nos hambúrgueres comuns. Essa cópia é feita por meio da substância heme, que está presente na hemoglobina (componente do nosso sangue) e é encontrada também em algumas plantas.

Segundo a própria empresa, o produto será lançado no final de 2016. Até agora, só foram mostrados alguns testes.