Quando vale a pena largar a carreira por uma microfranquia
Escrito por Adir Ribeiro, especialista em franquias

Além do capital inicial menor em relação às franquias tradicionais, as microfranquias geralmente demandam uma estrutura menor, tanto física como em termos de mão de obra especializada. Em alguns casos não há necessidade de se ter um ponto comercial em local de grande destaque e visível, e o franqueado pode trabalhar na sua própria residência do ou cliente.

As propostas podem parecer bastante tentadoras, mas antes de investir em uma microfranquia, é necessário pesquisar sobre o negócio em si, sobre a empresa franqueadora que está oferecendo a franquia, o histórico da empresa e o grau de satisfação dos franqueados em relação ao negócio.

É fundamental também realizar análises de potenciais riscos, entender mais sobre o mercado, realizar uma autoavaliação sincera e estruturada, e o principal, identificar-se com o modelo de negócio proposto.

Mesmo em franquias (micro ou não) a atuação do empresário será fundamental para a construção do sucesso do negócio, que contará com o apoio da empresa franqueadora em termos de suporte, de uma marca mais consolidada no mercado e de um pacote de serviços aos franqueados que ajude na gestão e operação do negócio. Porém, o esforço a ser aplicado será do tamanho da ambição desse potencial investidor, porque a empresa tem, de fato, a “pegada” do seu dono.

Conhecer-se bem e saber de suas próprias deficiências, sua capacidade de investimento, sua aptidão comercial para prospectar clientes, além de avaliar até que ponto vai contar com o apoio da franqueadora e, principalmente, ter uma avaliação financeira bem feita, envolvendo o total do investimento inicial, o prazo de retorno estimado, a sua sobrevivência no período em que o negócio não terá atingido ainda o ponto de equilíbrio financeiro são alguns dos itens que o empreendedor deverá ter me mente e em foco de atuação no negócio.

Iniciar um negócio com uma marca já conhecida e respeitada é menos inseguro do que começar do zero num negócio independente, que não faça parte de uma rede de negócios. E o tempo médio de retorno do investimento na microfranquia está em média entre 18 e 24 meses, segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), contra uma média de 36 meses nos modelos tradicionais. Sempre lembrando que são estimativas de taxas de retorno e que as mesmas podem variar de acordo com uma série de aspectos.

Portanto, deixar a sua carreira para investir numa microfranquia é uma decisão bastante importante que deve avaliar todos estes itens. Novamente, não há sucesso garantido em nenhum negócio, muito menos em franquias ou microfranquias, por isso é importante que o empreendedor tenha consciência de todos esses aspectos na sua decisão.

O sucesso exigirá muito planejamento e a escolha do ramo de atividade precisa ser criteriosa. Trabalhar menos nem sempre é uma realidade, adquirir uma microfranquia é de certa forma adquirir um emprego (ou ter um trabalho a realizar), e... trabalhar dá trabalho! Então sucesso na escolha e mãos à obra!

Adir Ribeiro é especialista em franquias, varejo e educação corporativa e fundador da Praxis Business Envie suas dúvidas com a palavra franquias no assunto da mensagem para examecanalpme@abril.com.br

Tópicos: Dicas de Franquias, Franquias, Dicas para seu negócio, Microfranquias