Quais são as referências para um empreendedor digital?
Respondido por Fernando de La Riva, especialista em negócios digitais

Antes de montar uma empresa, é preciso montar uma personalidade empreendedora. Para isso, uma ótima forma de começar é saber onde procurar conhecimento, o que é complicado se considerarmos o volume de informações sobre empreendedorismo na área digital. Para esta coluna, porém, podemos dividir as fontes em três grupos principais: os evangelistas, os investidores e os executores.

No que se refere aos evangelistas, o tripé de negócios é formado por Steve Blank, com “The Four Steps to the Epiphany”, Eric Ries, com “The Lean Startup”, e Alexander Osterwalder, com “Business Model Generation”. Também acho importante conhecer o “Running Lean”, de Ash Maurya; o “Crossing the Chasm”, de Geofrey Moore; e os livros do Clayton Christensen. Além deles, algumas referências menos densas como Brant Cooper ("Entrepreneur’s Guide to CustDev") e Jessica Livingston ("Founders at Work") também são interessantes.

Os investidores de risco, cujo papel é muitas vezes incompreendido, têm habilidade cirúrgica para cortar o que é irrelevante e decidir sempre pelo imperativo do lucro e do retorno sobre o capital investido. Isto é a única coisa que mantém o sistema saudável em longo prazo. Investidores não costumam ter livros, mas falam e blogam. Assim, é possível aprender com alguns deles, como Dave McLure, Paul Graham, os irmãos Sawner, Brad Feld, Mark Suster, Mark Andreessen/Ben Horowitz e Fred Wilson.

Os executores (ou fundadores) são os artistas, que não são ninguém sem um bom co-fundador técnico e um time. Além dos óbvios: Steve Jobs, Bill Gates, Mark Zuckerberg, Jeff Bezzos e Jerry Yang, é importante ressaltar algumas novas referências. Eu destaco Max Levchin (do PayPal), Craig Newmark (Craigslist), Sabeer Bhatia (Hotmail), Mike Lazaridis (RIM) e David Hansson (37Signals). No Brasil, cabe citar Julio Vasconcellos (Peixe Urbano), Romero Rodrigues (Buscapé) e Márcio Kumruian (Netshoes).

Assimilar toda esta informação não é uma receita de sucesso, mas pode encurtar o caminho de aprendizado e artificializar uma experiência que é necessária, mas não suficiente, para se tornar um empreendedor de sucesso. Uma última dica é: falhe barato, falhe rápido e falhe em silêncio, até que você ache o seu modelo de negócio.

Fernando De La Riva, da Concrete Solutions


Fernando de La Riva é diretor-executivo da Concrete Solutions, consultoria global de TI, e ajudou a desenvolver mais de 17 startups de tecnologia.

Envie suas dúvidas sobre negócios digitais para examecanalpme@abril.com.br.

Tópicos: Dicas de Negócios Digitais de PME, Dicas para seu negócio, Livros, Startups