Por que todo empreendedor precisa ser criativo
Escrito por Reinaldo Pamponet Filho, especialista em inovação

Um professor de arte, de uma grande universidade americana, foi indagado pelo filho de cinco anos de idade:

- Pai, o que você faz quando vai trabalhar?
- Eu ensino as pessoas a desenharem filho.
- Ué? Elas esqueceram como se desenha?

Esse é um tema recorrente quando penso no desafio que envolve nossa sociedade hoje. Criar o nosso futuro. Nós esquecemos como se faz, ou esquecemos de fazer aquilo que nos ajuda a entender o funcionamento do mundo. Rever e propor novas formas e possibilidades. Desenhar é tentar e testar, desenhar é o ato de criar.

A medida que amadurecemos, vão nos tirando a possibilidade de criar, como se isso não fosse mais relevante. E, assim, vamos quase acreditando que “ser criativo não é para mim”. Mas no meu dia a dia, na minha prática e rotina com tantas pessoas que gosto de conhecer e conviver, posso afirmar: todo mundo é criativo.

Estamos em um ambiente equivocado, em que nos tiram a chance e o sentido de nos sentirmos criativos, jogando o criar como uma palavra distante do nosso dia a dia, quase como um terreno muito arriscado que não vale a pena entrar. Ou um pouco ingênuo para outros...

Então, diante de um momento importante de redesenharmos instituições, modelos de negócios, o fluxo da cidades e acima de tudo, empreender esse tal de futuro - que é agora! Tenho sempre procurado estimular que o máximo possível de pessoas se reconecte com o seu potencial criativo.

Espero que em cada canto desse nosso mundão, cada empreendedor sinta essa confiança interna de ser capaz de criar algo que faça sentido para sua vida, e que o mercado e a sociedade estejam aptos a sustentar a evolução dessas novas criações que precisam surgir a cada instante.

Acho também que é mais fácil do que pensamos. Entenderam ou querem que eu desenhe? Boa jornada a todos!

Reinaldo Pamponet Filho é empreendedor criativo e sócio-fundador da itsNOON.