São Paulo – A performance de Gloria Pires como comentarista do Oscar na Globo foi o assunto da internet nesta semana. A atriz foi criticada por seus comentários lacônicos e às vezes até desinformados sobre os filmes que disputavam o prêmio da academia de Hollywood. Porém, ela foi hábil em transformar uma possível crise em oportunidade, algo que todo empreendedor deveria aprender a fazer também.

Dentre as frases ditas por Gloria que caíram nas graças das redes sociais estão “Eu não sou capaz de opinar” ou “Sou ruim de previsões”. As piadas e toda a repercussão poderiam ter sido um problema para a imagem da artista, mas ela soube dar a volta por cima. No dia seguinte à transmissão do Oscar, postou um vídeo para seus fãs. E, para encerrar de vez o assunto, o site da atriz passou a vender camisetas com seus comentários.

O que empreendedores podem aprender isso? De acordo com Alessandro Visconde, CEO da empresa de planejamento de mídia iFruit, o caso é uma “lição de marketing”. “As marcas precisam aprender a tirar proveito de situações como essa”, afirma.

Segundo Visconde, o maior mérito de Gloria foi transformar uma situação negativa em algo positivo. “É aquela velha história: se estão tirando sarro de você, é mais fácil entrar na onda do que ficar nervoso”, diz o especialista.

O episódio também mostra que as empresas, em especial os pequenos negócios, podem aproveitar muito mais o potencial da internet em benefício próprio. “Os memes são virais que se espalham como rastilho de pólvora pela internet. Quando surge algo do gênero, a empresa pode avaliar e usar isso a seu favor”, defende o especialista.

Um bom exemplo de viral da internet foi a infindável polêmica sobre o vestido que mudava de cor (lembra dele?). Pois o caso foi uma grata surpresa para a loja inglesa Roman, que vende a peça. Após a polêmica, os estoques rapidamente se esgotaram.

Vasculhar a internet

Mas, se o seu negócio não tiver a sorte de virar meme, ainda assim dá para aprender com a Gloria Pires. Para conseguir surfar nesta onda, no entanto, é preciso agilidade. “O empreendedor precisa ser rápido e inteligente para transformar um factoide numa receita de lucro. Se a empresa quer aproveitar a internet, ela precisa ser dinâmica e cabeça aberta, não dá para ser uma empresa com processos de aprovação muito longos, por exemplo”, diz Visconde.

Uma forma de estar mais conectado é fazer um monitoramento do que se passa web. Ricardo Heidorn, CEO da empresa de Seekr, que faz esse tipo de serviço, acredita que a resposta de Gloria Pires só foi eficiente porque ela tinha pessoas ligadas nas redes sociais. “Com certeza alguém de assessoria dela estava olhando para isso.”

Mas não é só para gerir crises que este monitoramento serve. “Temos muitos clientes que vasculham as redes em busca de oportunidades de negócio”, conta. Um dos casos envolve uma fabricante de elevadores. A marca passou a monitorar a internet em busca de mensagens em que as pessoas avisam que estão presas no elevador. “A partir daí, eles verificam. Se o elevador é da marca deles, já entram em contato para fazer o atendimento. Se não é, procuram o edifício para oferecer os seus serviços. E isso tem dado resultado”, conta Heidorn.

Outra estratégia relativamente comum, de acordo com Heidorn, é buscar reclamações em sites como o Reclame Aqui, a fim de oferecer produtos ou serviços mais eficientes naquele segmento.

Segundo ele, as grandes empresas já perceberam esse tipo oportunidade há algum tempo e agora é a vez das pequenas. “As pequenas empresas já estão nas redes, porque todos os seus clientes estão. Agora elas podem usar isso para melhorar seus produtos”.

Tópicos: Internet, Marketing, Oscar, Redes sociais