Goiânia - Dados da International Health, Racquet & Sportsclub Association (IHRSA), entidade internacional do setor de esporte e saúde, mostram que, de 2007 a 2010, o número de academias no Brasil dobrou, chegando a 15.551, deixando o país atrás apenas dos Estados Unidos.

Com faturamento de US$ 1,1 bilhão no último ano, a perspectiva da associação é de que o setor continue em crescimento no Brasil, impulsionado pela ascensão das classes econômicas C e D.

Acreditando nesse cenário, a empresária Flávia Silva Machado está há oito meses no comando da Companhia do Corpo, seu mais novo investimento, que lhe custou R$ 550 mil inicialmente. Com experiência de 15 anos no ramo de academias, Flávia espera resgatar o investimento no prazo de quatro anos, segundo calcula.

A Companhia do Corpo oferece todas as atividades físicas praticadas em academias, como musculação, ergometria, pilates, aulas de jump, ABS, spining e lutas como capoeira, muay thai e boxe. No entanto, na opinião da empresária, ainda era possível agregar outros serviços como diferenciais para o seu estabelecimento.

Partindo desse pressuposto, Flávia convidou profissionais da área de nutrição e especialista em dermatologia funcional para incrementar a gama de tratamentos oferecidos. Os alunos têm como vantagem descontos no preço da consulta e até sessões-extras como cortesia.

É possível combinar a atividade física com o aconselhamento profissional sobre reeducação alimentar, fazer massagens redutoras, shiatsu e até tratamentos específicos de combate à celulite.

Para fazer musculação e ergometria são cobrados R$ 80 mensais. O aluno que opta pelo pacote completo, com direito a frequentar as aulas que desejar, paga R$ 130. Hoje, a Companhia do Corpo conta com 350 alunos, mas a sua capacidade é para 500. “Vamos aumentar nosso quadro de empregados de 11 para 14, investindo em mais professores. Em breve, creio que conseguiremos atingir a nossa meta”, afirma.

Tópicos: Academias, Empreendedores, Pequenas empresas