São Paulo – O mercado de bichinhos de estimação é muitas vezes apontado como um bom setor para enfrentar a crise econômica. Os irmãos gêmeos Ricardo e Rodrigo Chen resolveram acreditar nessa ideia, abrindo uma padaria e petiscaria gourmet para cães bem no meio da recessão. A Padaria Pet deu tão certo que, hoje, é uma rede de franquias e participa com um estande na Feira do Empreendedor 2016, organizada pelo Sebrae/SP.

A ideia do empreendimento surgiu quando os irmãos estavam em uma viagem pelos Estados Unidos, em 2010, e viram uma padaria e petiscaria para cães com produtos inovadores. “Olhamos esse lugar e vimos que não tinha nada parecido no Brasil. No mesmo ano, começamos a desenvolver a marca e o conceito da empresa. Também contratamos veterinários e fizemos consultorias em universidades com o objetivo de desenvolver as receitas para os produtos”, conta Rodrigo Chen.

“Em 2013 começou a crise e começamos a sentir a queda no faturamento de outras empresas que nós temos, como uma de brindes corporativos. Em 2015, finalmente decidimos tirar a ideia da padaria para cães do papel, já que tínhamos os produtos já desenvolvidos. Vimos um mercado pet em ascensão”, afirma. Em 2015, o setor cresceu quase 8%.

A Padaria Pet abriu sua primeira loja em agosto do ano passado, no bairro de Pinheiros. “Não sabíamos nada do mercado, e usamos essa loja para sentir como é a área. Gostamos muito do resultado. Os cachorros têm se tornado membros da família e as pessoas têm investido cada vez mais dinheiro para eles.”

Isso fez com que os irmãos Chen apostassem ainda mais na ideia e abrissem, este mês, uma unidade-conceito na rua Oscar Freire, região nobre de São Paulo. Rodrigo conta que, para este mês, a projeção de faturamento é de 100 mil reais. Ao todo, cerca de 500 mil reais foram investidos até agora no negócio, que tem sete meses de vida.

Experiência diferenciada

O foco da Padaria Pet é oferecer produtos para pets que você não encontraria em lojas comuns. Há uma cerveja sem álcool feita especialmente para os cães: preparada com malte, de sabor carne e com vitaminas adicionais. Outros produtos são biscoitos sem conservantes, molho para ração com apenas nove calorias por embalagem, ossinhos recheados e ovos de páscoa sem cacau, feitos apenas com uma massa que imita o chocolate (veja as fotos dos itens logo acima).

Além dos produtos requintados, o modelo de loja física oferece também uma experiência diferente – o que incrementa o faturamento. “Essas unidades envolvem outros produtos e serviços. Elas têm a parte de padaria, mas também possuem um café para os donos: eles podem se sentar com seus cachorros e cada um come sua comida, mas na mesma mesa”, explica Rodrigo.

“Também há um espaço separado para fazer festas de aniversário, palestras, cursos e exposições de arte pet. Por exemplo, um artista pode vir e fazer um quadro ou escultura personalizada do seu cachorro. Recentemente, tivemos um artista de Nova York fazendo uma exposição dos quadros na loja da Oscar Freire.”

Franquias e expansão

Este mês, a Padaria Pet começou a procurar franqueados. São quatro modelos de negócio: lojas físicas, negócios móveis (vendas em bicicleta e moto dentro de eventos e parques, por exemplo), “store-in-store” (produtos dentro de pet shops e lojas de alimentação natural) e virtual (o franqueado possui um e-commerce e vende os produtos por lá; ele pode tanto usar um design padrão da Padaria Pet quanto personalizar uma marca própria). Veja, no fim da matéria, os valores de cada modelo.

Segundo Rodrigo, a Padaria Pet irá terminar o ano com cinco lojas físicas, entre próprias e franqueadas. Para 2017, a ideia é ter 15 unidades em funcionamento. Além das franquias, o negócio também trabalha com revendedores, que compram os produtos e os oferecem para diversos lugares.

Negócios anteriores

Além de serem irmãos gêmeos, Ricardo e Rodrigo cursaram a mesma faculdade: engenharia mecatrônica na Universidade de São Paulo (USP).

“Nos nossos anos de curso, a escola quis incentivar os alunos a montarem empresas, e não apenas saírem da faculdade e virarem funcionários. Tivemos aulas de empreendedorismo lá e decidimos montar nosso primeiro empreendimento nesse tempo mesmo, por volta de 2003”, conta Rodrigo. O empreendimento era um site de compras conjuntas para universitários: os alunos se juntam pela plataforma e conseguem baixar o preço de um livro por conta da quantidade adquirida.

A partir daí, os empreendedores abriram diversos negócios. Hoje, por exemplo, eles cuidam de cinco empresas diferentes, incluindo a Padaria Pet.

Modelos de franquias

Loja física
Investimento inicial:
de 150 mil reais a 300 mil reais
Prazo de retorno: 12 a 24 meses

Loja móvel
Investimento inicial:
de 50 mil reais a 100 mil reais
Prazo de retorno: 12 meses

Store-in-store
Investimento inicial:
de 30 mil reais a 50 mil reais
Prazo de retorno: 12 a 18 meses

Virtual
Investimento inicial:
de 300 a 500 reais se houver marca própria (se for com a cara da Padaria Pet, não há investimento); mensalidade entre 50-100 reais para manter o site operando
Prazo de retorno: não se aplica

Tópicos: Cachorros, Empreendedores, Empreendedorismo, Pequenas empresas, Ideias de negócio, Pet shops