São Paulo - As franquias faturaram mais de 139 bilhões de reais em 2015, um valor 8,3% maior em relação ao do ano anterior. A informação é da Associação Brasileira de Franchising (ABF), que divulgou hoje o balanço consolidado do setor em 2015. De 2013 para 2014, o crescimento havia sido de 7,7%, a menor alta porcentual em 10 anos

Essa alta no faturamento é nominal, ou seja, desconsidera o efeito da inflação. A ABF diz que não a considera no cálculo porque diferentes segmentos sentem os efeitos inflacionários de forma diferente (e também optam por repassá-los ou não ao consumidor final).

Hoje, 3.073 franqueadoras operam no país - um número 4,5% maior do que o visto no resultado de 2014. Considerando-se lojas abertas e lojas fechadas, o saldo foi de 12.702 unidades franqueadas a mais: ao todo, são mais de 138 mil negócios do tipo. Por meio dessas lojas, 90 mil empregos foram gerados em 2015, diz a ABF.

Acelerados

De acordo com a pesquisa, o setor de acessórios pessoais e calçados foi o que mais cresceu em comparação anual, com 12%. O setor foi beneficiado por fatores como profissionalismo na entrega dos produtos e serviços, pela variação cambial e pelo ticket médio baseado em qualidade, design e preço.

Veja, a seguir, os cinco setores que mais cresceram em 2015:

Setor Crescimento
Acessórios pessoais e calçados 12%
Negócios, Serviços e Outros Varejos 10%
Hotelaria e Turismo 9%
Alimentação 8,90%
Serviços Automotivos 8,80%

Já falando sobre marcas, a classificação de marcas por número de unidades ficou assim (da primeira para a décima posição): O Boticário; Subway; Cacau Show; Colchões Ortobom; AM PM Mini Market; McDonald's; Jet Oil; Kumon; BR Mania; e Wizard Idiomas.

Novos terrenos

As marcas ainda estão muito concentradas no Sudeste, com 71,4% do total de redes - só São Paulo tem 53,3% desse mesmo total.

Porém, o crescimento mais acentuado do setor se deu nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. "Muitas franqueadoras dessas regiões buscam se profissionalizar, com o objetivo de se expandir pelo resto do país. Isso ajuda a diversificar os modelos de negócio", afirmou Cláudio Tieghi, diretor de inteligência de mercado da ABF.

Hoje, 40% dos municípios possuem franquias. Em 2014, eram 37%. Para Tieghi, isso evidencia uma interiorização e uma estratégia oposta ao êxodo rural. Ou seja, um desejo do empreendedor em continuar morando e trabalhando em cidades menores, chegando até a cidades com menos de 50 mil habitantes.

Projeções

Para 2016, a ABF projeta um crescimento de 6 a 8% no faturamento, em comparação com 2015. Também espera um aumento de 8 a 10% no número de unidades; e de 4 a 6% no número de marcas franqueadoras.

"Estamos com projeções conservadoras, até pelo resultado do Produto Interno Bruto, mas ainda esperamos um crescimento parecido ao de 2015", explica Tieghi. O governo ainda não divulgou o PIB de 2015, mas a associação estima uma retração de 3% nesse valor.

Tópicos: Acessórios, Alimentação, Trigo, Setores, Calçados, Dicas de Franquias, Franquias, Dicas para seu negócio, Hotelaria e Restaurantes, Hotelaria, Serviços diversos, Varejo, Comércio