São Paulo – Encontrar produtos orgânicos para ter uma alimentação mais saudável nem sempre é simples. Alguns itens podem ser difíceis de achar nas redes de mercado comuns ou ainda se confundem com produtos de outras linhas na desordem das prateleiras.

Preocupado com a alimentação da sua família, o empreendedor Fernando Pupo viveu essa dificuldade e resolveu fazer desse problema um negócio. Ao lado do sócio Ulisses Bocchi, ele é o idealizador do Origen, um mercado onde só entram produtos orgânicos e que pretende ser a principal referência para quem busca itens nessa categoria. A dupla já investiu R$ 2 milhões no negócio. 

“Queremos atender a essa demanda de forma prática. Eu sou o típico cliente Origen. Quero uma alimentação saudável, mas não quero ir a uma feira longe da minha casa no sábado de manhã para comprar orgânicos”, afirma.

Inaugurada em outubro do ano passado no bairro de Moema em São Paulo, a loja do Origen vende verduras, frutas e legumes orgânicos, biscoitos e geleias, farinhas, carnes dentre outros itens produzidos sem agrotóxicos ou outros aditivos químicos. “A ideia é ser um mercado completo, que dê conta de toda a compra do cliente sem que ele precise complementar em outro lugar”, explica Pupo.

O plano do empresário é montar uma rede de lojas, evitando que o cliente precise se deslocar por grandes distâncias para conseguir comprar orgânicos. Já existem negociações para a inauguração de unidades nos shoppings Cidade Jardim e Morumbi, além de projetos de food truck e lojas menores.

Produtos confiáveis

Além de facilitar o acesso, a ideia do negócio é garantir a confiabilidade do produto para o cliente. Ulisses Bocchi, sócio de Pupo no empreendimento, é agrônomo e sempre trabalhou com o universo dos orgânicos. Em 2010, Bocchi fez uma pesquisa de mercado e identificou uma grande dificuldade dos consumidores de orgânicos: saber em que produto confiar.

“Nessa pesquisa percebi uma grande insegurança do consumidor em saber o que de fato é orgânico. Ele acaba sendo enganado, compra um produto hidropônico, por exemplo, achando que é orgânico, quando não é. E nessa falta de informação muitas empresas se aproveitam”, afirma Bocchi. Portanto, outra proposta do Origen é garantir a procedência de todos os seus produtos – lá tudo é 100% orgânico, garantem os sócios.

Com pouco mais de quatro meses de operação, a loja ainda não tem números consolidados de faturamento para divulgar. Porém, Pupo garante que a marca tem crescido de 25% a 30% ao mês. 

Suco prensado a frio

Uma das apostas dos sócios para alavancar as vendas é oferecer lanches rápidos saudáveis (feitos com produtos 100% orgânicos) e sucos prensados a frio prontos para beber. A ideia é que, além de comprar itens para sua despensa, o cliente possa fazer uma refeição rápida no local. Feito com uma técnica que garante mais sabor e valor nutricional, o suco é uma aposta à parte: a intenção é criar estabelecimentos focados somente na venda do produto.

Além da lanchonete, a loja em Moema oferece mudas de graça para os clientes que estão precisando de temperos em casa. O espaço, que foi vencedor de um prêmio de design e arquitetura, abriga ainda cursos e palestras focados em alimentação saudável.

Com o crescimento da rede Origen, a ideia dos sócios é conseguir baratear os preços dos produtos, que muitas vezes são bem mais caros que os convencionais. “O orgânico é mais caro principalmente porque ele não tem escala. Nossa ideia é garantir a escala do produtor, já que teremos uma rede com demanda”, afirma Bocchi.

Tópicos: Empreendedores, Produtos orgânicos