São Paulo - Priscila Biella teve coragem de fazer o que muita gente sonha: ela largou uma carreira em ascensão numa grande empresa para criar o seu próprio negócio num setor que sempre foi do seu interesse: a moda.

“Eu nunca trabalhei com moda, mas sempre estive ligada. Não perco uma São Paulo Fashion Week”, conta. A ideia para o seu voo solo veio justamente da observação deste universo. “Percebi que a lingerie estava ganhando mais destaque e pensei que essa seria uma boa oportunidade”, afirma.

Foi assim que nasceu a Biellíssima, negócio que vende lingeries e roupas de praia pela internet e está no mercado desde abril de 2015. Segundo Priscila, a seleção das peças e o atendimento personalizado são os grandes diferenciais do e-commerce. “Se a cliente não quiser comprar pela internet, ela pode entrar em contato e nós vamos encontrá-la”, afirma.

Priscila conta que sempre teve o sonho de ser dona do seu próprio negócio. Quando montou a ideia da Biellíssima, tomou coragem e largou o emprego. “Eu tinha um cargo com muitas responsabilidades na empresa, trabalhava muitas horas por dia, seria impossível conciliar”, afirma. Para começar o e-commerce, ela investiu 15 mil reais e tem reinvestido no negócio desde então.

Além de mulheres em busca de novidades, a Biellíssima tem atendido outro tipo de público: homens que querem presentear suas companheiras. Segundo Priscila, eles já são cerca de 10% dos clientes da Biellíssima. “Nós fazemos uma consultoria para ajudá-lo a escolher um modelo que tenha mais a cara da presenteada. E quando ele faz sua escolha, montamos um kit personalizado com alguns mimos para ela”, explica.

Outra novidade da Biellíssima são os bazares – eventos presenciais em que as clientes têm a possibilidade de conhecer e comprar os produtos da loja. Com essas iniciativas, o negócio esperar faturar 500 mil reais até abril de 2016. Atualmente, a Biellíssima tem tido cerca de 100 vendas por mês, com ticket médio de 250 reais.

Agora, a empreendedora pretende ampliar o negócio para fazer o faturamento crescer. Dentre os planos estão a renovação da página na internet e a ampliação dos bazares presenciais. A ideia é contar com parceiras em diversos locais do país para realizar os eventos. “Percebo que uma lingerie bonita faz com que a mulher e sinta melhor, com mais autoestima. Isso me fascina”, conclui.

Tópicos: Empreendedores, Ideias de negócio, Setores, Moda