Em todo o país, diversas startups estão criando novos produtos, gerando vagas de trabalho e transformando a experiência dos usuários na internet e em plataformas móveis, muitas vezes, em escala global. Percebemos também o número de iniciativas que estão sendo criadas por grandes empresas para se aproximar cada vez mais do universo das startups.

A mais recente delas é o o Google Campus, espaço do Google onde os empreendedores aprendem, se conectam e fundam empresas de alto impacto que podem mudar o mundo. No Campus São Paulo, eles receberão orientação e treinamento de integrantes da comunidade local de startups, incluindo profissionais experientes e especialistas do Google. Os empreendedores também terão acesso à internet banda larga e a um ambiente de trabalho propício ao surgimento de grandes ideias.

O espaço contará com um Campus Café – Com acesso wi-fi gratuito, uma energia contagiante e muitas pessoas interessantes. Um ótimo lugar para resolver coisas, fazer uma pausa ou trocar ideias com seus colegas. Espaço para eventos, auditório com capacidade para 50 até 100 pessoas. Além do espaço de coworking, que gera aprendizado conjunto em um local de trabalho compartilhado.

Já é possível acessar o site do Campus, onde além de conferir a lista de atividades que irão ocorrer no local, os usuários poderão se registrar para solicitar um espaço de trabalho ou se inscrever para participar de programas e workshops voltados para ajudar a comunidade de startups a consolidar e escalonar seus projetos. O processo de inscrição para se tornar um membro do Campus é gratuito e aberto a todos, é só preencher o formulário.

No blog do Google foi divulgado: “Estamos acertando os últimos detalhes do Campus São Paulo, nosso espaço para empreendedores no Brasil. Está quase tudo pronto para abrir as portas: construímos um ambiente agradável, planejamos programas inovadores e reunimos um excelente time”.

O Google também anunciou André Barrence como o diretor do Campus São Paulo. Com formação em Direito e especialização em áreas como Inovação e Governança, Barrence conhece intimamente muitos aspectos do ecossistema de startups e trabalhou em quase todas as etapas da jornada de um empreendedor. Foi cofundador e diretor do SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development, um dos mais bem-sucedidos programas de aceleração do país e um marco para a comunidade do San Pedro Valley em Belo Horizonte, Minas Gerais. Também é um defensor ativo de novas políticas públicas para empresas em estágio inicial, mentor e empreendedor.

Confira abaixo uma entrevista com André sobre sua carreira e sua expectativa para o Campus São Paulo.

Como você se envolveu com a comunidade de startups no Brasil?

AB: Depois de passar quase dois anos em Londres fazendo meu mestrado e de fundar minha primeira startup no princípio da Tech City, voltei ao Brasil em 2011 para liderar uma equipe de estratégia e inovação no Governo do Estado de Minas Gerais.

Durante o tempo em que fui Secretário de Estado no governo, eu e minha equipe trabalhamos muito próximos à comunidade de startups do San Pedro Valley, colaborando na criação de um programa de aceleração com alcance global chamado SEED – Startups and Entrepreneurship Ecosystem Development, voltado para atrair e reter empreendedores talentosos em Minas Gerais. Trabalhamos sempre em conjunto para fortalecer a cultura empreendedora local e desenvolver uma das mais importantes comunidades de startups do Brasil. A partir desta experiência, pude perceber o enorme potencial que o empreendedorismo possui como propulsor de crescimento e prosperidade para o país.

Recentemente, me juntei à Geekie, uma startup de educação e aprendizado personalizado, onde trabalhei com uma equipe extraordinária e apaixonada pela democratização da educação de qualidade por meio da tecnologia. Como time, sempre nos motivamos pelo nosso propósito e pelos desafios, mas também sentimos na pele os percalços e as escolhas difíceis que toda startup precisa enfrentar. Após essa experiência, mais do que nunca, estou convencido que empreendedores arrojados são capazes de ajudar a resolver alguns dos problemas mais difíceis da nossa sociedade.

Qual é o diferencial da comunidade de startups do Brasil?

AB: O Brasil tem um enorme mercado interno, a maior economia da América Latina, talentos de classe internacional e está repleto de empreendedores energéticos e resilientes. Além disso, há uma crescente comunidade, incluindo mentores, investidores e espaços como o Campus São Paulo. Nos últimos anos, vimos um número cada vez maior de startups com resultados expressivos e alto potencial de crescimento, como Conta Azul, Nubank, Easy Taxi, Rock Content e Sympla, apenas para citar algumas. No Campus, queremos inspirar mais empreendedores e ajudar suas startups a evoluírem para o próximo estágio de crescimento.

O que a comunidade local pode esperar do seus primeiros meses no Campus?

AB: Temos muitas coisas planejadas para nossos primeiros meses. Estamos trazendo alguns dos melhores programas da nossa rede global, incluindo sessões de mentoria, o Campus para Mães, nossa escola de startups com espaço para bebês, e o Campus Exchange (em polonês), nosso programa que ajuda startups a entrarem em novos mercados e se conectarem com oportunidades nos mercados internacionais das outras cidades onde temos Campi (Londres, Tel Aviv, Seul, Varsóvia e Madrid). Também mal posso esperar para ouvir dos empreendedores como o Campus pode contribuir para o fortalecimento da comunidade.

A inauguração do Campus está está prevista para a segunda quinzena de fevereiro no bairro do Paraíso.

Texto originalmente publicado no Startupi.

Veja também: Google inaugura sua aceleradora e busca startups no Brasil

Tópicos: Empreendedores, Google, Empresas, Tecnologia da informação, Empresas americanas, Empresas de tecnologia, Empresas de internet, Startups, São Paulo, Cidades brasileiras, Metrópoles globais