Rio de Janeiro - Para aumentar e fortalecer a competitividade das empresas, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou, na quarta-feira (3), a criação do Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores de Bens e Serviços relacionados ao setor de Petróleo e Gás Natural - BNDES P&G. 


Com orçamento de R$ 4 bilhões e vigência até 31 de dezembro de 2015, este programa, que integra o Plano Brasil Maior, do governo federal, prevê maior facilidade de acesso ao crédito, menor custo de capital e acesso à tecnologia de ponta. Os focos do programa são projetos de implantação, ampliação e modernização da capacidade produtiva; consolidação, fusão e aquisição e internacionalização da cadeia de fornecedores; financiamento do capital de giro necessário à produção de equipamentos e prestação de serviços; e suporte a atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

As micro, pequenas e médias empresas, que representam cerca de 85% dos fornecedores desta cadeia, terão condições maior flexíveis de acesso ao crédito. As taxas de juros variam de 4,5% ao ano para inovação, até 11,04%, para o financiamento a capital de giro nas operações diretas.

O programa poderá também apoiar esta cadeia por meio de operações com as empresas-âncora, que têm receita operacional bruta anual acima de R$ 90 milhões. A partir de um plano de desenvolvimento, direciona no mínimo 30% dos recursos do financiamento aos seus fornecedores e subfornecedores. Além de viabilizar o acesso ao crédito para empresas de pequeno porte, a expectativa é que também haja um aumento das atividades produtivas.

O BNDES, através deste programa, também vai aumentar sua participação nos projetos de financiamento e apoio à aquisição de tecnologia, qualificação e capacitação de mão-de-obra e prestação de serviços, em especial os serviços de engenharia e de certificação relacionados ao setor.

O BNDES P&G poderá atuar com financiamentos, nas modalidades direta, indireta (por meio de agentes financeiros) ou mista, e com instrumentos de renda variável, que envolvem participação acionária.

Empresas de todos os portes com sede e administração no Brasil, que integrem ou venham a integrar este cadeia de fornecedores poderão se beneficiar do BNDES P&G.

Tópicos: Gás, Pequenas empresas, Energia, Petróleo