São Paulo - Nesta época do ano, a maioria das empresas já está trabalhando no seu planejamento estratégico para 2016 ou está pensando nele. Mas antes de concluir seu plano, faça este exercício:

Imagine um hamster em uma gaiola, correndo sem parar em sua roda, mas sem nunca sair do lugar. É assim que você se sente em relação à sua empresa ou ao seu time? Muito trabalho, muito esforço, mas sem sair do lugar?

Na sua empresa, o importante é trabalhar muitas horas, virar noites, trabalhar nos finais de semana, ou entregar resultados? Você quer um time de hamsters – que se esforçam muito mas não chegam a lugar algum – ou pessoas que geram resultados? Ao fazer seu planejamento estratégico, avalie:

- Vocês estão medindo esforço ou resultado?
- Suas metas estão voltadas para uma atividade meio ou para o objetivo final?

Sua empresa se parece com esta?

Veja se este caso real poderia acontecer na sua empresa. Ao acompanhar os resultados, o CEO verificou que a meta corporativa de tráfego no site estava muito abaixo do esperado para aquele mês. Ele foi então questionar o responsável pelo Marketing:

CEO - José, nosso tráfego no site está muito abaixo da meta corporativa.
José - Mas eu entreguei tudo o que eu tinha que entregar de acordo com as minhas metas, fiz todas as minhas tarefas.
CEO - Mas o tráfego no site está muito ruim.
José - O tráfego no site não está nas minhas metas!
CEO - Então para que você tem metas? Sua meta está completamente errada…

O CEO percebeu que o processo de definição de metas tinha criado um hamster. Existiriam outros na empresa? A cultura precisava mudar.

Metas devem ser focadas em resultados

Quando bem utilizadas, metas definem os critérios de sucesso de uma organização. As metas definem se uma pessoa ou time foram bem sucedidos. Mas para isso, as metas não podem ser focadas em tarefas ou esforço por três grandes motivos:

1. Queremos uma Cultura de Foco em Resultados

Como no exemplo do tráfego do site, queremos uma cultura que tenha foco no resultado, e não nas tarefas.

2. Se você fez suas tarefas e nada melhorou, isto não é sucesso.

Sucesso é fazer com que algo melhore: os clientes estão mais satisfeitos, as vendas aumentaram, o custo foi reduzido. Se você fez todas as suas tarefas mas não saiu do lugar, isto não é sucesso.

Apesar do que se ensina nas aulas de gerência de projetos, a verdade é que entregar o projeto não é o bastante. Entregar um projeto no prazo, escopo e qualidade não é o suficiente, o projeto deve ser feito com sucesso.

Ou seja, os objetivos de negócios que motivaram a realização do projeto devem ser atingidos.

3. Seu plano de ação é somente uma hipótese.

A metodologia Lean Startup nos ensinou que uma idéia é somente uma hipótese não validada. Da mesma maneira, no mundo real não temos certeza se nosso plano de ação vai conseguir melhorar nossos indicadores. Nosso plano de ação é somente uma hipótese. Assim, você não pode se prender a uma aposta não validada.

Quando for definir suas metas, foque no destino onde você quer chegar, não no meio para chegar lá.

Definindo metas da maneira correta

Quando bem utilizados, os dois principais métodos para definição de metas podem ajudar a desdobrar seu Planejamento Estratégico em resultados desejados. Se sua empresa está utilizando o Balanced Scorecard, você deve separar suas metas em 4 componentes:

- Objetivo (o que você quer atingir);
- Medida (como você vai medir seu objetivo);
- Target (calor alvo da medida, qual meta deve ser atingida);
- Iniciativas organizacionais (quais ações serão feitas para atingir o objetivo).

Da mesma maneira, se sua empresa decidiu utilizar OKR (Objectives and Key Results), modelo utilizado pelo Google e por diversas empresas do Vale do Silício, você também vai separar suas metas em componentes:

- Objetivo (descrição motivadora e memorável do que você deseja atingir);
- Key Results (um conjunto de 3 a 5 métricas que indicam que você está avançando em relação ao seu objetivo, com seus respectivos targets).

Em OKR, você também deve separar seus resultados dos planos de ação para alcançá-los. Como fazer isto na prática:

- Avalie as metas que você definiu;
- Se você tem uma tarefa, pense no motivo pelo qual você a está fazendo. Este é seu objetivo;
- Pense no que aconteceria de bom se a tarefa fosse bem feita, estes são seus Key Results (ou medidas e targets).

Tem dúvidas ou sugestões? Poste nos comentários abaixo!

Texto escrito por Felipe Castro, sócio da Lean Performance, e publicado na Endeavor.

Tópicos: Dicas de Empreendedorismo , Dicas para seu negócio, Dicas de Produtividade de PME, Empreendedorismo, Pequenas empresas, Empreendedores, Planejamento, Gestão, Produtividade