Como se planejar para aumentar seu negócio sem sustos?
Escrito por Renato Kuyumjian, especialista em empreendedorismo

Todo o empreendedor sonha em expandir seu negócio. Muitos pensam nisto antes mesmo de abrir a empresa e de obter retorno financeiro. O crescimento da empresa, o aumento do faturamento e maior geração de lucro devem ser planejados, caso contrário o empreendedor pode ter resultados negativos.

É preciso pensar muito em como crescer sem prejudicar a saúde financeira ou perder qualidade e clientes. O empreendedor deve avaliar todos os aspectos de seu negócio para não prejudicar o seu negócio a médio e longo prazo.

Expandir o seu negócio e consequentemente aumentar o faturamento deve ser feito de maneira saudável e prolongada. O empreendedor não pode se precipitar ou se iludir com o aumento no volume de vendas sazonais ou eventuais.

Planejamento é tudo

O primeiro passo a ser dado é levantar e analisar todas as informações relacionadas a qualquer etapa da empresa que tenha relação com dinheiro. É necessário ter noção de quais são os processos do negócio, quais os contratos estabelecidos com fornecedores, as contratações, as ferramentas de propaganda etc.

Conhecer todas as partes ajudará a identificar o que realmente é importante para a empresa, o que não pode ser cortado e o que pode ser adaptado, reduzido ou mesmo eliminado das contas.

É necessário rever valores de contratos, cláusulas, gastos com propaganda, com infraestrutura e tudo mais que envolva as finanças para já aumentar as margens de lucro sem adotar nenhuma nova medida, apenas reorganizando a empresa como está. Isso deve ser feito sem prejudicar a qualidade do produto ou serviço oferecido. Cortar custos sem pensar na qualidade é ter prejuízos relacionados à perda de clientes e de credibilidade, o que mina qualquer chance de crescer.

O planejamento deve incluir o conhecimento do perfil do consumidor, quais produtos ou serviços ele contrata e quais os mais e menos buscados. O empreendedor também deve analisar os valores relacionados a esse consumo e como a concorrência tem se relacionado com os consumidores. Com isso, é possível adotar medidas para melhorar a relação com os clientes e oferecer produtos melhores, ou mesmo aumentar o leque de serviços, trabalhar com fidelização e captação de novos clientes.

Em alguns casos, será possível identificar se está na hora de aumentar preços, por exemplo. Mas lembre-se que esse reajuste de valor não deve ser algo surreal. Portanto, faça aumentos que possam ser pagos por seu público-alvo.

A precificação é uma parte delicada nos negócios. Um bom preço, além de trazer rendimentos, pode ser uma importante ferramenta de fidelização e marketing. Mas é bom lembrar que preço muito baixo pode atrair mais clientes, mas pode também não suprir as necessidades financeiras da empresa. E um preço muito alto, apesar de aumentar as margens de lucro, podem afastar clientes ou diminuir seu poder de compra.

O empreendedor não pode agir por impulso, acreditando que preços baixos atraem mais clientes. Isso pode ser fatal para as finanças e para a saúde da empresa. Todos os custos para operação, os benefícios oferecidos ao cliente e o mercado devem ser analisados antes de estabelecer seu preço.

Renato Kuyumjian é sócio fundador da Quinta Valentina.

Tópicos: Dicas de Empreendedorismo , Dicas para seu negócio, Empreendedores, Empresas, Expansão