São Paulo – Ter uma ideia de negócio, mas não ter dinheiro suficiente para abrir a própria empresa é o drama de muitas pessoas que desejam empreender. Para Cynthia Serva, coordenadora do Centro de Empreendedorismo e Inovação do Insper, é comum não ter capital suficiente para abrir e tocar o negócio. Por isso, buscar alternativas não deve ser um fator para desmotivar o empresário iniciante.

Fabiano Nagamatsu, consultor do Sebrae-SP, conta que geralmente depender somente de recursos próprios dá mais certo quando o negócio depende da capacidade do empreendedor de entregar o serviço. Pedir recursos para investidores ou familiares, buscar financiamento coletivo ou pedir dinheiro emprestado para bancos são algumas maneiras de buscar capital. Veja outras recomendações dos especialistas.

1. Reflita sobre as suas habilidades

Você quer abrir um restaurante, mas não sabe cozinhar? Tem um sonho de abrir um bar, mas não gosta de trabalhar durante os finais de semana? Antes de gastar toda a poupança ou se endividar para empreender, especialistas recomendam que o empresário faça uma reflexão.

Ter certeza de qual é a sua competência ou nível de conhecimento sobre o mercado é essencial para que o negócio seja um sucesso.

2. Coloque no papel o quanto precisará

Para saber se o negócio será viável, o primeiro passo é fazer um plano de negócios. “Coloque tudo no papel e avalie se o mercado irá aceitar o produto ou serviço”, ensina Nagamatsu.

Além disso, é importante que o empreendedor simule até quando conseguiria tocar a empresa sem precisar recorrer a capital externo. Essa etapa demanda que o empreendedor seja realista e simule tanto um cenário positivo quanto negativo.

3. Busque investidores

É possível crescer com recursos próprios, mas se o resultado não aparece como o planejado, é preciso buscar outras soluções. Investidor-anjo, crowdfunding, amigos e familiares são outras maneiras de conseguir o dinheiro necessário.

Nesses casos, também é indispensável colocar os custos no papel para que o endividamento não interfira no planejamento e crescimento do negócio.

4. Invista em marketing

É possível divulgar o seu serviço ou produto com pouco recurso e começar a vender sem ter uma loja física. “Marketing a custo zero é investir na internet e nas mídias sociais”, recomenda Nagamatsu.

Criar uma página no Facebook, interagir no Linkedin caso seu negócio seja focado no B2B e publicar fotos no Instagram são práticas que podem ser adotadas para que o seu negócio já nasça com clientela.

5. Acione o seu networking

Ter uma rede de contatos é essencial para qualquer empreendedor. Além de possíveis parcerias, empresários do seu setor de atuação podem fornecer informações precisas do mercado e detalhes de como é lidar com o negócio no dia a dia. Dessa maneira, é possível administrar o capital que o empresário tem de uma maneira mais inteligente.

6. Busque especialização antes de começar

Se o capital ainda é escasso para começar ou não é o suficiente para lidar com imprevistos, o ideal seria buscar capacitação antes, para não ter problemas com as finanças no futuro. “Sempre tem que avaliar o que a gente tem na mão e o que é possível fazer”, afirma Cynthia. Cursos, workshops e especializações que podem auxiliar até que o empreendedor tenha um montante suficiente para abrir o próprio negócio. 

Tópicos: Dicas de Finanças de PME, Dicas para seu negócio, Ideias de negócio, Pequenas empresas