Aguarde...

Gestão | 13/09/2011 06:00

5 dicas para ter um negócio mais lucrativo

Corrigir erros e fazer adaptações no plano de negócios podem tornar a empresa mais inteligente

FABIO HEIZENREDER

Homem segura cédulas de cem reais

São Paulo – Em 1967, o empresário Moacir Boff inaugurou um salão de beleza para homens, em Curitiba. Copiando o conceito de São Paulo e do Rio de Janeiro, o negócio parecia inovador para a cidade. Quase 20 anos depois, quando o Lord Cabeleireiros decidiu abrir uma unidade no shopping, surgiu a dúvida se valeria a pena manter a clientela exclusivamente masculina.

Já sob o comando de Kyrlei Boff, filho de Moacir, o salão foi transformado em Lady&Lord e passou a atender o público feminino, maioria no shopping. Mais do que aumentar o número de funcionários, Kyrlei conta que mudou a forma de atender as clientes. “As mulheres já não passam o dia no salão. Tínhamos que fazer um serviço com qualidade e rapidez”, diz.

Os clientes do Lady&Lord não precisam marcar horário para serem atendidos. “A cliente diz que tem 40 minutos para ficar pronta e eu faço, na mesma cadeira, maquiagem, unha, hidratação e escova”, conta. Para ele, isso deixou o negócio mais ágil e agregou valor aos serviços. “Informatizamos o negócio, aumentamos o ticket médio e fizemos os clientes gastarem mais em menos tempo”, explica.

São mudanças e adaptações como essas que fazem a rede de onze salões atender 560 mil pessoas por ano e projetar um faturamento de 40 milhões de reais para 2011. “Um negócio mais inteligente e lucrativo depende de um plano de negócios e de ações rápidas quando as coisas não dão certo”, sugere Julio Alencar, consultor do Sebrae/SP. Confira a seguir cinco dicas para corrigir problemas do negócio e aumentar os ganhos.

1. Conseguir mais clientes

Quando os consumidores não entram no seu estabelecimento, é hora de fazer um ajuste na publicidade. "Eles não entram na loja porque você não faz propaganda e ninguém te conhece. É preciso investir até 5% do faturamento em marketing”, ensina Alencar. Mexer na vitrine vale a pena quando seu ponto comercial é um local de passagem de muitos pedestres. Caso contrário, eles só chegarão até a loja se souberem que ela existe.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados