São Paulo - A ideia de que é possível vender praticamente qualquer coisa na internet está cada vez mais forte. Desta vez, o grupo alemão Rocket Internet, conhecido por clonar startups em mercados emergente, está apostando na venda de joias online. Conforme a configuração escolhida pelo cliente, a peça pode custar de 50 reais a 12 mil reais.

Em operação no Brasil há apenas um mês, a startup será comandada por José Reis Neto, com experiência em gestão, e Adriana Costa, que fez carreira em grandes joalherias, como a Vivara. “A gente dispõe os modelos no site, e o cliente escolhe o metal, a pedra, o tratamento, tudo. Ele monta a joia”, explica o CEO da empresa José Reis Neto.

“Hoje ter uma peça em ouro é um luxo acessível, mas deve continuar a ser um meio de marcar momentos. A beleza do nosso negócio é que, com a possibilidade de configuração, a gente vai conseguir vender para pessoas que nunca puderam comprar uma joia”, avalia a sócia da 21 Diamonds, Adriana Costa.

Neto largou 12 anos de experiência no mercado financeiro para se dedicar às joias. O interesse em startups veio após um MBA na London Business School. “Quando soube da Rocket, adorei o conceito da empresa, inovadora e agressiva. Conversamos por 3 meses até surgir a oportunidade da Diamonds”, conta.

Já Adriana trabalha neste mercado há mais de 20 anos e já atuou em diversas áreas da joalheria, desde fábricas, passando pelo varejo, criação, representação e exportação. A nova empreitada com a startup veio de forma inesperada e satisfatória. “Quando me chamaram para a 21 Diamonds, já sabia que queria investir nesse mercado na internet e acho que agora está na hora certa para isso”.

O 21 Diamonds já existe na Alemanha, França, Inglaterra, Holanda, Suíça e Áustria. “O modelo já existia nos Estados Unidos, na empresa Gemvara. A Rocket Internet lançou na Europa e agora no Brasil”, comenta Neto. Há expectativa de levar a Diamonds para o sudeste asiático ainda este ano, além de expandir para toda a Europa e outros países da América Latina. “A ideia é ser uma joalheria global com um pedaço grande aqui no Brasil”, afirma o sócio.

Como funciona

São mais de 100 modelos em mostruário, mas a previsão é atingir 800 até o fim do ano. Esta semana, com a proximidade do dia das mães, mais uma coleção foi lançada no portal. “Dificilmente o nosso portifólio poderá ser oferecido em lojas de rua porque só com as peça que já temos no site o cliente já tem à disposição mais de 10 mil combinações”, ressalta o sócio.

A possibilidade de configurar a peça como desejar permite ao cliente do 21 Diamonds escolher a pedra e o metal do produto. Dessa forma, o preço varia e é mostrado online, a partir da troca dos itens. Há opções de diamante, diamante negro, ametista, citrino, esmeralda, rubi, safira azul e outros. Entre os metais, há disponibilidade de prata, ouro 9k, 14k e 18k. O ouro pode ser amarelo, branco, rose ou champagne.

Antes de ser apresentada ao cliente, cada peça passa por análises técnicas. “Nem todos os produtos se adequam a todo tipo de metal. Então avaliamos cada peça e disponibilizamos ao cliente somente os materiais que funcionam com aquele modelo”, destaca Adriana.

Todos os produtos são feitos sob encomenda e sob medida, em fábricas certificadas pela Amagold (Associação Brasileira dos Fabricantes de Joias em Ouro Certificado). Hoje, o cliente demora 21 dias para receber a encomenda. "Os fornecedores levam de 7 a 10 dias para produzir a joia, dependendo dos materiais e da quantidade de pedras que tem que cravar. A gente recebe a peça, cadastra, faz todo o trâmite interno e envia pelo correio com seguro”, explica José Reis. O frete é grátis para todo o país.

Preços

Além da economia com os custos de uma loja física (aluguel, água, luz, telefone, vendedores, manutenção de estoque, entre outros), o segredo maior para os preços praticados pela startup está na negociação com os fabricantes. Há mais de 20 anos no mercado de joias, Adriana Costa selecionou as quatro fábricas que hoje prestam serviço para o site.

“Um dos pré-requisitos foi a certificação da Amagold, para dar segurança ao cliente de que ele está comprando uma joia com pedras e metais verdadeiros”. Além disso, a especialista no setor selecionou fábricas que atendam a demanda por peças personalizadas e consigam produzir no menor tempo possível.

A porcentagem de lucro da 21 Diamonds é fixada sobre cada peça individualmente. “Nas peças mais baratas colocamos um percentual, mas aquelas com itens mais nobre e, consequentemente, mais caras, diminuímos o nosso ganho para manter a peça com um preço menor que o do mercado”, justifica Reis Neto.

A investidora Rocket Internet tem crescido a largos passos, com atuação em 24 empresas em 58 países. Muitas das empresas desenvolvidas pela Rocket não tem nem um ano de vida. Entre as empreitadas estão a Dafiti (clone da Zappos), a Bamarang (cópia da Fab), a GlossyBox (semelhante ao BirchBox) e Lazada (inspirada na Amazon). O valor investido na 21 Diamonds no Brasil e fora não foi revelado. 

Tópicos: Dafiti, Rocket Internet, Lojas online, Empresas, Empreendedorismo, Pequenas empresas, Empreendedores, Luxo, Metais, Oliver Samwer, Ouro, Startups