São Paulo – Com o avanço da tecnologia, muita gente que decide abrir sua própria empresa já opta por um negócio digital. Mas quais as necessidades específicas de um negócio como este? Quais os principais desafios?

Entrevistamos especialistas e empreendedores para responder a essas perguntas e oferecer um passo a passo de como abrir a sua loja virtual. “Hoje é fácil abrir um e-commerce e, por ser fácil, muita gente está entrando neste mercado. Por um lado essa é uma boa notícia, mas por outro você passa a ter vários competidores” alerta Marcelo Nakagawa, professor de empreendedorismo do Insper.

Com uma concorrência cada vez mais acirrada, é importante trabalhar para que seu negócio funcione bem. Para isso, é necessário, antes de mais nada, ter um negócio bem desenhado. “O primeiro ponto é saber que tipo de negócio você vai montar”, resume Ari Gorenstein, um dos fundadores do e-commerce Evino, especializado em vinhos.

Depois que o negócio estiver definido, é importante ficar ligado em quatro pontos principais, segundo Henrique Mengue, CEO da EZ Commerce, empresa que fornece plataformas para lojas virtuais: 1) Marketing, para conseguir trazer clientes; 2) suprimentos, ou seja, produtos atrativos; 3) tecnologia e 4) operações, que envolve em especial a logística.

“O que não pode faltar é vontade de empreender”, resume Gorenstein. Se você tem vontade de empreendedor nesta área, veja a seguir dez passos fundamentais para montar um e-commerce de sucesso:

1) Entenda seu cliente

Antes de começar o negócio, estruture bem quem será seu público alvo. “Muita gente tem pressa, quer colocar o negócio para frente logo. Mas antes de tudo é fundamental ouvir o cliente”, recomenda Gorenstein, da Evino.

Para isso, vale investir em pesquisas de mercado, ou mesmo conversar com familiares e amigos que possam opinar sobre sua ideia de negócio. Isso antes de abrir as portas. Depois, é importante manter canais de diálogo para feedback, como espaços para comentários e questionário de satisfação do cliente.

Gorenstein destaca que, diferente das lojas físicas, no e-commerce a relação com o cliente é um pouco mais distante, o que reforça a necessidade de buscar esse contato. “Você precisa saber se está atendendo da maneira que o cliente espera.”

2) Conheça o mercado

O mercado de e-commerce é supercompetitivo. Por isso, não seja um “aventureiro” e estude seus concorrentes. “É preciso mapear o mercado, entender quem são os players presentes, ter clareza da demanda que o seu negócio vai atender, e saber qual será o seu diferencial em relação aos demais”, aconselha Gorenstein.

3) Encontre um nicho

Não se deixe enganar pelos atrativos do e-commerce. Segundo Marcelo Nakagawa, do Insper, 99% das grandes lojas virtuais dão prejuízo. O número parece assustador, mas o professor garante que ainda assim vale apena investir no negócio.

“Está difícil vender tudo no mesmo lugar na internet. Quem tem ganhado dinheiro está focado em nichos específicos”, argumenta. Sendo assim, em vez de montar uma loja virtual de alimentos em geral, procure focar num setor menor, como alimentos saudáveis, por exemplo.

4) Tenha uma proposta clara

Segundo o professor, para ter mais chances de sucesso, a sua loja eletrônica precisa de uma proposta clara. “Eu preciso olhar para a empresa e de cara entender que problema ela resolve”, explica. O especialista dá o exemplo da loja online 33e34, que vende exclusivamente sapatos nessas numerações. “Eles têm uma proposta simples e fácil de entender.”

5) Venda assinaturas

Outra boa aposta, segundo Nakagawa, é o modelo de assinaturas, pelo qual o cliente paga uma mensalidade e recebe os produtos periodicamente em sua casa.
“Custa caro atrair e manter o cliente na sua loja online. Portanto, o modelo de assinaturas reduz a necessidade ficar sempre atraindo esse cliente, o que diminui os custos da operação”, explica.

6) Tenha parceiros confiáveis

Praticamente todas as operações de e-commerce envolvem uma série de parceiros, como fornecedores de produtos, serviço de logística e serviços de tecnologia. Se alguma dessas pontas tiver problemas (um atraso na entrega, por exemplo), prepare-se: a conta cairá sobre você.
“A qualidade de todos os seus parceiros é cobrada de você, então tem que ser rigoroso. A gente quebrou muito a cabeça com isso no início”, conta Gorenstein da Evino. A recomendação do empreendedor, portanto, é buscar parceiros de confiança logo no início do negócio. “Em vez de fechar logo com o mais barato, vale a pena o esforço de uma seleção criteriosa”, aconselha.

7) Diferencie-se no produto

Para se diferenciar no mercado, é fundamental que você tenha bons fornecedores ou que tenha uma produção própria de qualidade. “Você tem que ter acesso a fornecedores ou uma produção própria que garanta a vantagem competitiva do seu negócio”, afirma Nakagawa, do Insper.
Caso contrário, segundo o especialista, você corre o risco de ser apenas mais do mesmo, o que tem grandes chances de levar seu negócio ao fracasso.

8) Preste atenção na tecnologia

Se você vai começar um e-commerce agora, escolha uma plataforma para sua loja virtual que caiba no seu bolso. “Tenha cautela, não faça um grande investimento em tecnologia inicialmente”, recomenda Henrique Mengue da EZ Commerce. Hoje o mercado tem opções das mais variadas em serviços de plataforma para e-commerce, nos quais a empresa paga um aluguel e usa um serviço pré-pronto.

Mengue ressalta, porém, alguns pontos importantes a serem levados em consideração ao contratar esse serviço: “É importante avaliar como a plataforma está preparada para os mecanismos de busca, como o Google. Quanto mais preparada for a plataforma, menos você vai ter que gastar com marketing”, lembra.

Outro ponto importante é que a plataforma possa ser acessada pelo smartphone. É recomendável ainda verificar a compatibilidade do sistema com os serviços de pagamento e gerenciamento de empresas disponíveis no mercado.

9) Dê atenção especial à logística

Um dos principais desafios para quem vai ter um e-commerce é a parte logística. Num país de dimensões continentais, garantir que seu produto chegará na casa do cliente no tempo determinado e em boas condições pode ser uma tremenda dor de cabeça, avisa Gorenstein, da Evino.

Segundo o empreendedor, é bom estar preparado para serviços de logística sobrecarregados em datas comemorativas (o que pode atrasar a chegada do produto ao seu cliente).

Já o professor do Insper diz que é importante avaliar a viabilidade de se entregar um produto em regiões muito distantes da sua base de operação. “Se o local da entrega for muito distante, é um esforço que às vezes não vale a pena, o empreendedor vai perder dinheiro. Então, às vezes é melhor já deixar claro as limitações da entrega”, afirma.

10) Invista (muito) em marketing

“O e-commerce é uma loja num porão, ninguém passa na frente da sua loja. Por isso, precisa de muito marketing”, afirma Mengue, da EZ Commerce. Isso significa investir em anúncios na web, newsletter e redes sociais.

Ele ressalta que já foi a época em que aquele sobrinho que entende de internet dava conta do recado. “Esse trabalho não pode ser subestimado”. 

Tópicos: Comércio eletrônico, Empreendedorismo, Pequenas empresas, Empreendedores, Internet