Qual a melhor forma de dar feedback para a equipe?
Escrito por Alexandre Rangel, especialista em gestão de pessoas

Quando pesquisamos no Google a expressão “feedback para equipe”, aparece a informação de que foram encontrados nada menos que 5,8 milhões de resultados. Sim, mais de 5 milhões. Apesar de tantas teorias a respeito do tema, e de tantas técnicas que são ensinadas, há uma dificuldade enorme das pessoas em dar feedback aos colaboradores, principalmente os pequenos empresários, que nunca foram treinados para isso.

No campo da psicologia, essa dificuldade pode ser explicada como um déficit em habilidades sociais. Uma das habilidades sociais mais complexas é a assertividade, por se tratar de uma habilidade de enfrentamento. Assertividade é você ter a capacidade de expressar seu pensamento e suas emoções sem violar os direitos do outro.

Para ser efetivo, o feedback precisa ser assertivo, e há como desenvolver essa habilidade por meio de treino. Tal como se faz com o exercício físico, comece com o mais simples, conversando com a pessoa de forma natural, e evite formalidades ou distanciamento pela hierarquia.

Outra coisa importante é a maneira como você se expressa. O uso das palavras pode dificultar ou ajudar no processo de comunicação, tornando-a mais concreta.

A seguir, estão algumas orientações para começar a treinar a prática do feedback a partir de hoje:

1. Dê o feedback imediatamente. Não demore! Não deixe para falar um mês depois, quando o fato já não tiver mais significado. Comece a praticar hoje.

2. Seja claro, preciso, não faça prefácios. Em vez de dizer “Lembra que fizemos uma reunião de grupo 15 dias atrás? Aquela que o presidente esteve presente? Ficamos de ter uma lista de clientes por região, começando pelos clientes do Sul. Você ficou de preparar, e o prazo era ontem. Será que você teve tempo de preparar a listagem dos clientes dessa região?”, diga: “Você ficou de entregar a lista de clientes da Região Sul até o meio-dia de ontem. O que aconteceu para que você não cumprisse o prazo combinado?”

3. Use frases na primeira pessoa. Em vez de dizer “Você me aborrece”, diga: “Eu fico aborrecido quando você não cumpre os prazos.”

4. Peça mudança de comportamento. “Senti-me prejudicado por você não ter passado o recado do Hugo assim que cheguei de manhã. Você esqueceu, e isso era muito importante para mim. Peço que, a partir de agora, você me mande uma mensagem tão logo receba um recado.”

5. Substitua o “mas” pelo “e”. Em vez de dizer “Você tem um bom relacionamento com os clientes, conhece bem os produtos, mas não consegue vender...”, diga: “Você tem um bom relacionamento com os clientes, conhece bem os produtos e não consegue vender...”

6. Substitua o “tentar” pelo “fazer”. Em vez de dizer “Por favor, tente ir à reunião amanhã”, diga: “Por favor, vá à reunião amanhã.”

7. Substitua o “se” pelo “quando”. Em vez de dizer “Se você concluir o relatório...”, diga: “Quando você concluir o relatório...”

8. Substitua o “espero” pelo “sei”. Em vez de dizer “Eu espero que você realize no prazo”, diga: “Eu sei que você vai realizar no prazo.”

9. Evite o condicional. Substitua o “Eu gostaria que você compreendesse” por: “Peço que você compreenda.”

10. Acompanhe posteriormente. Dar feedback não é suficiente para mudar comportamento. Demonstre a importância que você dá para a mudança de conduta por meio do seu acompanhamento e reforços positivos. Faça isso sistematicamente.

Outro ponto importante a destacar é não confundir feedback com avaliação de desempenho. Esse é um processo que se dá em um espaço de tempo maior, por exemplo, semestralmente ou anualmente, visando a promoções de cargo ou aumentos de salário. Já o feedback é como se fossem dicas que são dadas no dia a dia, para a pessoa melhorar o seu desempenho continuamente, e não está atrelado a estímulos financeiros ou de carreira.

Alexandre Rangel é sócio da Alliance Coaching.

Envie suas dúvidas sobre liderança para pme-exame@abril.com.br.

Tópicos: Dicas de Empreendedorismo , Dicas para seu negócio, Feedback, Gestão de pessoas, Gestão de negócios, Gestão