Micro e pequenas empresas paulistas faturaram menos em março

Comparando com o mesmo mês de 2014, faturamento dessas empresas recuou 4,8%

São Paulo – O faturamento real das micro e pequenas empresas paulistas, em março, registrou um recuo de 4,8% em relação ao mesmo período do ano passado.

Já na comparação com fevereiro deste ano houve um aumento de 6,1%. Os dados constam de uma pesquisa divulgada hoje (1º) pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae) e feita com o apoio da Fundação Seade.

Em março, a receita total das micro e pequenas empresas paulistas somou R$ 46,9 bilhões, uma de queda R$ 2,4 bilhões em relação a março de 2014.

Segundo o Sebrae, os resultados do mês “refletem a confiança em baixa dos consumidores, o aumento do desemprego, a queda do rendimento real dos trabalhadores, a inflação mais elevada e os efeitos de curto prazo das medidas de ajuste da economia, que afetaram o nível de consumo interno”.

O setor mais afetado foi o de serviços, que apresentou diminuição de 12,2% na comparação com março de 2014. Já os setores de indústria e de comércio apresentaram pequena alta de 0,7% e 0,1%, respectivamente.

Entre janeiro e março deste ano, as micro e pequenas empresas paulistas registraram redução de 12,8% no faturamento real em comparação a 2014 e queda de 0,1% no total de pessoal ocupado em relação ao mesmo período.

Para os próximos seis meses, a expectativa da maior parte dos micro e pequenos empresários é de estabilidade quanto ao faturamento.

Para o Sebrae, 2015 será um ano de “análise e cautela por parte dos empreendedores, evitando desperdícios e racionalizando produção e/ou vendas”.