Hábitos para manter as contas da sua empresa sempre em ordem

Nenhum empreendedor pode se dar ao luxo de deixar as finanças da empresa de lado. Veja como ficar em cima deste ponto no dia a dia.

Hábitos que o empreendedor deve ter para manter as finanças da empresa organizadas
Escrito por Henry J. Kupty, especialista em finanças

Para gerir uma empresa é necessário ter alguns cuidados e sacrifícios independentemente do porte, lucratividade e segmento de atuação. A arte de empreender, de colocar em prática uma ideia e de realizar uma tarefa, que às vezes pode ser árdua e trabalhosa, é aceitar desafios e fazer acontecer.

As características fundamentais ao empreendedor são criatividade e perseverança, além da capacidade de implementação de projetos e disposição para assumir riscos. Alguns cuidados específicos em atividades operacionais simples podem ajudar a empresa a se manter organizada e competitiva.

Uma boa desenvoltura nas negociações com fornecedores é essencial para o empreendedor, pois este é o início de um ciclo operacional que envolve controle e investimento financeiro. A administração das finanças deve se manter equilibrada. O planejamento inicial e a manutenção de controles financeiros das operações da empresa são primordiais para que o empreendedor acompanhe o desempenho de seu negócio.

Passada a fase de planejamento e implantação, o cotidiano financeiro não pode ficar em segundo plano. Criar um fluxo de caixa diário de entradas e saídas previstas pode controlar as operações e auxiliar na tomada de decisão em relação ao volume de compras, negociação com clientes, participação em projetos e licitações, e nas campanhas de promoção e divulgação da empresa e seus produtos.

Além disso, o empreendedor precisa se atentar às atividades secundárias e de apoio que compõem o negócio. Serviços como limpeza, informática, contabilidade, entre outros, podem ser executados por empresas terceirizadas e têm duas características interessantes: são facilmente controláveis e, em momentos de necessidade, podem ser reduzidas na proporção do encolhimento das operações principais.

Por fim, o controle financeiro deve deixar claro qual é o montante necessário melhorar o desempenho da empresa junto ao mercado. Isso seguramente demandará um capital que deve vir do caixa excedente das operações da empresa, de um aporte de capital dos sócios ou de um financiamento vindo de instituições financeiras. A decisão caberá ao empreendedor, após análises financeiras e de mercado.

Henry Kupty é coordenador do curso de administração da FMU. 

Envie suas dúvidas sobre finanças empresariais para pme-exame@abril.com.br.