Desemprego e com dívidas, casal cria rede de R$ 160 milhões

Eles estavam desempregados, com o nome sujo e uma filha por vir. Resolveram investir no negócio próprio e hoje têm uma rede que movimenta R$ 160 milhões.

São Paulo – O ano de 2009 não foi fácil para o casal Eric e Sibele Vaz de Lima. Na época ele trabalhava como bancário no interior de São Paulo e perdeu o emprego. Pouco depois, ela também foi demitida do banco em que trabalhava. Desempregados, eles descobriram poucos meses depois que Sibele esperava a filha caçula do casal.

Foi neste cenário que a família teve o estalo para criar um negócio que hoje movimenta 160 milhões de reais. É a rede de franquias Vazoli, que tem mais 90 lojas especializadas em oferecer crédito consignado e empréstimo para negativados.

A inspiração para entrar no setor de empréstimos veio da própria situação que a família enfrentava. Tanto Eric quanto Sibele estavam com o nome sujo e tinham dificuldade em conseguir crédito.

“Foi um período muito difícil. Para comprar coisas em casa tinha que ser em nome do meu irmão ou da família do Eric. Ficamos devendo no cartão de crédito e a parcela do carro estava atrasada”, lembra Sibele.

Até então, a Vazoli era um negócio paralelo que os dois haviam iniciado com um investimento de cerca de 3 mil reais e que servia como um complemento de renda para a família. O foco da empresa – que tinha apenas uma pequena unidade em Severínia (SP) – era a venda de seguros.

“Como não conseguimos outro emprego, resolvemos mergulhar de cabeça na Vazoli e fomos atrás de abrir uma segunda unidade. Mas estávamos com o nome sujo e não quiseram nos vender os móveis a prazo”, conta a empreendedora.

Eles então perceberam que não eram os únicos a enfrentar esse problema e decidiram mudar o foco da empresa para a oferta de crédito.

“Foi um sucesso. Não tinha ninguém que oferecesse esse serviço na cidade naquela época e isso gerou uma procura muito grande. Um dia, uma funcionária teve um problema e não foi trabalhar. Isso gerou até fila na porta da loja”, diz Sibele.

A empresa passou a fazer convênio com vários bancos para oferecer empréstimos e cresceu rapidamente. Em 2011, a Vazoli já tinha dez lojas no interior de São Paulo, sendo sete próprias e três abertas por um amigo do casal que também havia perdido o emprego como bancário.

Para o casal, um dos motivos do sucesso da empresa é a preocupação em oferecer a melhor opção de crédito para o cliente. “Muitas corretoras vendem apenas de olho na comissão que vão receber. Nós temos foco no que é melhor para o cliente. Fazemos uma consultoria, queremos garantir que ele vai gastar menos”, afirma Eric.

Hoje a Vazoli oferece crédito consignado para funcionários públicos, aposentados e funcionários de empresas privadas parceiras.

Também oferece crédito pessoal, focado em quem trabalha como autônomo, por exemplo. Nas duas modalidades é possível conseguir o empréstimo mesmo com o nome sujo. Há ainda financiamento imobiliário ou de veículos, consórcios e seguros.

Franquia

Em 2011, a Vazoli entrou para o franchising. Os empreendedores contam que eles mesmos fizeram a formatação do negócio para se tornar franquia.

“Fomos atrás de empresas especializadas e o valor mais baixo para fazer esse processo era de 100 mil reais. Nós não tínhamos esse dinheiro, então fizemos na raça. Estudamos a lei ficamos um ano formatando tudo”, conta o empreendedor.

A expansão deu certo, e hoje a empresa tem 93 lojas, em 17 estados brasileiros, além de três selos de excelência da ABF (Associação Brasileira de Franchising). A meta da rede é chegar a 100 lojas até o fim de 2017.

Eric afirma que busca sempre orientar os interessados em entrar para a rede. “Toda a dificuldade que passamos fez com que a gente pense muito no nosso franqueado. A gente sempre tem o cuidado de orientar. Às vezes ele quer entrar para a franquia fazendo dívida. Orientamos para que ele não perca tudo o que tem”, diz.

Para quem ficou interessado, o investimento inicial para abrir uma unidade vai de 40 mil a 80 mil reais, dependendo do tamanho da loja e da cidade onde ela está. O faturamento médio mensal vai de 150 mil a 200 mil reais, e a lucratividade fica em 12%.

Eric explica que o franqueado fica com 90% da comissão recebida por cada contrato fechado – 10% vai para a Vazoli. Nos últimos 12 meses, a rede movimentou 160 milhões de reais em crédito.