Como remunerar um conselheiro na minha startup?

Estratégia mais comum é dar em troca um pequeno percentual da empresa, diz especialista

Como remunerar um conselheiro ou mentor na minha startup?
Respondido por Yuri Gitahy, especialista em startup

Saber escolher bem seus mentores é uma estratégia interessante para startups se tornarem mais competitivas em menos tempo. Mante-los por perto é ainda mais difícil, porque para ter mentores motivados é preciso recompensa-los.

A estratégia mais comum de retenção usada por empreendedores brasileiros em early-stage é dar em troca um pequeno percentual da empresa, que normalmente varia entre 1% e 3%. Mesmo assim, fique atento às seguintes situações:

1) Mentores e consultores ditos “experientes” que procuram você com a intenção de pegar carona no seu sucesso (ou potencial sucesso). Fuja deste tipo, caso ele não tenha referências muito boas em trabalhos similares atestadas por alguém que você confia.

2) Quando o mentor para quem você deu um percentual começa a ficar indisponível, ou não agrega tanto. É hora de reforçar o combinado, ou mesmo reconsiderar sua substituição.

3) Quando o mentor começa a pedir mais e mais percentual para mostrar mais resultados, usando o pretexto de que ele está fazendo muito pela empresa mas sendo pouco remunerado. Este acaba se tornando o tipo 1), porque só aguardou mais tempo para mostrar sua real intenção.

O melhor é tratar mentores da mesma forma que se trata funcionários com stock-options: que eles ganhem mais percentual ao longo do tempo, de acordo com disponibilidade e atividades pré-combinadas. Como é comum reservar uma pequena fatia da empresa – de 5% a 10% – para a remuneração de todos os mentores ou funcionários estratégicos, gerencie a remuneração do mentor com pequenos gatilhos, seja por tempo dedicado ou resultados.

Os melhores mentores dão conselhos que podem mudar radicalmente o rumo de sua startup. Normalmente, são aqueles que sempre dão boas perspectivas sobre o dia a dia dos produtos, e que você chamaria para seu Conselho Administrativo quando sua startup se tornasse uma grande empresa. Procure seus mentores ativamente e divida o retorno com eles, contanto que eles saibam adaptar-se a novos cenários e mostrem resultados relevantes ao longo do tempo.
 

O que é uma startup?

 

Yuri Gitahy é investidor-anjo, conselheiro de empresas de tecnologia e fundador da Aceleradora, que apoia startups com gestão e capital semente

Envie suas dúvidas sobre startups para examecanalpme@abril.com.br.