9 gafes que os empreendedores devem evitar com um investidor

Confira quais são as atitudes que podem manchar a imagem de sua empresa e acabar com as chances de emplacar um projeto

São Paulo – Não basta ter uma boa ideia. O primeiro contato com o investidor pode determinar se você conseguirá o apoio ou não. Você é daqueles empreendedores que quando encontra com um investidor só fala de números? Ou conta, de uma vez só, o plano de negócios durante um meetup? “Nos primeiros minutos, ele precisa passar as informações com clareza. Ser prolixo é um mau sinal”, afirma Andre Diamand, investidor da VentureOne.

A maneira como você aborda um possível investidor também diz muito sobre que tipo de empreendedor você é. “Alguns apresentam um projeto de forma pouco humilde e com muitos jargões, para mostrar que sabem tudo. Nesse momento, começo a me desinteressar”, diz Cassio Spina, investidor e presidente da associação Anjos do Brasil.

Confira nove gafes que podem destruir suas chances de chamar a atenção de um investidor-anjo:

1. Demonstrar apatia ou arrogância

Um empreendedor que não se sente empolgado ao apresentar seu projeto não é o que um investidor espera. De acordo com Diamand, ter espírito empreendedor é essencial para que o investidor preste atenção no que você tem a dizer e falar de maneira apaixonada sobre suas ideias é o recomendado.

Por outro lado, de acordo com Spina, falar de maneira exageradamente empolgada e arrogante também não é bem visto. “Ele apresenta a ideia, supervaloriza, fala que é um produto revolucionário e que não têm concorrentes e acaba demonstrando falta de conhecimento de mercado e de noção”, explica.

2. Ser prolixo

“Na minha percepção, nos primeiros 60 segundos, você consegue saber se o empreendedor é prolixo”, afirma o especialista em startups, Ricardo Normand. Durante um meetup, por exemplo, ele explica que o ideal é conversar com o máximo de investidores possível e não alimentar uma longa conversa somente com um investidor.


Para não se estender em uma longa conversa, o investidor recomenda que empreendedores falem menos sobre o que já fizeram ou criaram durante o primeiro contato. Valorize o seu projeto atual e expectativas.

3. Apresentar a solução antes do problema

Para Diamand, um erro clássico que um empreendedor comete é falar primeiro da solução que ele buscou sem dizer qual o problema que ele quer tentar resolver. “Antes é preciso saber qual o real problema do usuário”, afirma.

Os investidores enxergam com maus olhos quem tem todos os detalhes sobre um produto, mas não sabe especificar para quem e qual o problema ele está solucionando.

4. Falta de objetividade

Normand conta que, na ânsia de conseguir um investidor, algumas pessoas se perdem nas ideias e ficam ansiosas durante o primeiro contato. “Ele não sabe o que pedir e a falta de objetivo resume a conversa”, afirma. A recomendação do investidor é que empreendedores preparem seu pitch de foma clara e objetiva.

Para Diamand, planos de negócios extensos como apresentações em Power Points com mais de 20 slides não são indicados. Se durante uma conversa o empreendedor não consegue explicar a ideia em um minuto e foca apenas detalhes, ele acaba se perdendo.

5. Citar valores redondos

Calcular que o projeto vale 1 milhão, 500 mil ou 300 mil, é uma atitude de empreendedores que não despertará a atenção do investidor. “A gente está acostumado com cifras redondas e é um erro o empreendedor parecer apaixonado pela ideia do negócio somente pelo dinheiro”, explica Diamand.


Caso os valores realmente tenham sido calculados, o investidor conta que o ideal é listar e relatar o que foi planejado. Chutar um valor alto e redondo não ajuda a impressionar.

6. Aparência desleixada

“Um traje pode tanto aproximar quanto afastar as pessoas”, afirma Romaly de Carvalho, professora de etiqueta empresarial da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Por isso, é essencial prestar atenção em detalhes da roupa, como se a camisa está arrumada e limpa.

Para Diamand, o importante é se vestir de forma asseada e que não deponha contra a sua imagem. Ele diz que não se incomoda que o empreendedor o encontre de camiseta ou tênis, mas na dúvida, explica que o indicado é se vestir de acordo com o ambiente.

7. Determinar o valor de um salário

“Empreendedor que busca salário também é um cara que a gente descarta, afinal ele tem que estar engajado no negócio”, afirma Spina. Ele conta que já recebeu um empreendedor que na primeira conversa estabeleceu o valor do investimento e da própria remuneração.

Para os investidores, o empreendedor que não se arrisca e tem como objetivo garantir um salário alto acaba passando uma impressão ruim, pois demonstra que não tem o espírito do empreendedorismo.

8. Falta de ética

De acordo com Spina, furar fila durante uma meetup e falar mal de outros projetos para engradecer o seu podem fazer com que o investidor o descarte imediatamente. “A relação de confiança com o investidor tem que ser construída”, explica.

O ideal é ser o mais transparente possível. Se você já tentou o negócio uma vez e não deu certo, o melhor é falar a verdade. Para Spina, omitir essa informação pode deixar a conversa menos interessante.

9. Não saber com quem está conversando

Para Normand, a comunidade do empreendedorismo é relativamente pequena, por isso, uma falta de preparo pode se espalhar facilmente quando um outro investidor o questiona se ouviu falar de determinado projeto. “Se o investidor é focado em TI e o projeto do empreendedor é para biotecnologia, obviamente essa iniciativa não irá gerar uma boa percepção pelo lado do investidor. Demonstra um pouco de falta de preparo por parte do empreendedor”.