10 dicas para lidar com as dívidas da sua empresa sem surtar

Veja o que especialistas no assunto aconselham para lidar melhor com os momentos difíceis da sua empresa; a recomendação número zero é não perder a serenidade.

São Paulo – Uma empresa com dívidas é um pesadelo para boa parte dos empreendedores. A falta de dinheiro em caixa e os telefonemos dos credores afligem mais ainda os marinheiros de primeira viagem, que não têm muita experiência com tempos difíceis, como o que atravesamos agora na economia brasileira.

De acordo com números do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), o volume de empresas com dívidas atrasadas no país cresceu 5,38% no primeiro semestre de 2015, em comparação com o mesmo período do ano passado. A dificuldade em honrar os pagamentos atinge em especial os setores de comércio (com 49% das empresas devedoras) e serviços (37%).

Para ajudar a enfrentar essa situação, EXAME.com reuniu dicas de especialistas no assunto. A recomendação número zero é não perder a serenidade. “Num momento como este, é preciso manter a calma. É comum as empresas passarem por dificuldades financeiras, principalmente na conjuntura atual”, afirma Érika Suzuki, sócia da consultoria Crowe Horwath.

Outro ponto fundamental é não tomar decisões precipitadas: “O que a gente vê é que, na hora da crise, todo mundo sai cortando os custos, cortando pessoas, e isso é terrível para uma retomada depois. A grande dica é sempre não se precipitar”, recomenda Jairo Martins, presidente-executivo da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

Veja a seguir dez dicas para lidar com as dívidas na sua empresa:

1 – Estude o seu negócio

Num momento de dificuldades financeiras, a empresa precisa de uma gestão disciplinada, com bons controles de fluxo de caixa. “É preciso conhecer bem o que é realizado. Com isso, o empresário consegue ter uma visão mais clara dos gastos e das receitas e assim começar a reduzir custos”, recomenda Érika Suzuki, da Crowe Horwath.

2 – Adapte processos

Algumas mudanças nos processos da sua empresa podem ajudá-lo a economizar, afirma José Balian, professor da ESPM. “Um exemplo: geralmente as empresas comissionam de forma errada. Dão comissão pelo total de vendas, quando o melhor seria dar uma comissão menor pelas vendas mais fáceis de fazer, e outra maior pelas vendas mais difíceis”, afirma.

3 – Corte custos (com cuidado)

Ao ver-se com dificuldade para saldar as dívidas, um dos primeiros passos do empreendedor deve ser cortar os custos da empresa. Porém, esse corte não pode ser impensado. “Isso não pode ser feito de forma intempestiva, sem análise preliminar. A primeira coisa que se pensa é cortar pessoal. Mas, se o empresário não analisar com cuidado, vai terminar se desfazendo de conhecimento necessário para tocar o seu negócio”, afirma Jairo Martins, presidente-executivo da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

4 – Negocie com os credores

Outro ponto importante é saber negociar com seus credores. “Se tem um pagamento para fazer em 30 dias, negocie para pagar em dois meses”, afirma Martins. Outra dica é tentar reduzir o valor das parcelas da dívida, segundo José Balian, da ESPM. Ele indica ainda que uma saída é buscar pagar só os juros, adiando o pagamento da dívida principal. “Tente não deixar a dívida vencer sem nenhum pagamento, para continuar com crédito no mercado”, recomenda.

5 – Busque dinheiro mais barato

Outra dica é verificar no mercado se a dívida não está muito cara. “Se procurar outro banco, por exemplo, o empresário pode conseguir uma linha de crédito mais barata. Vale a pena tentar, pois isso vai dar um certo fôlego para suas operações”, recomenda Jairo Martins, da FNQ.

6 – Faça as contas

Quando não é possível honrar todas as dívidas, o empreendedor precisa colocar na ponta do lápis quais contas vale mais a pena pagar, aconselha Érika Suzuki. “Ele tem que avaliar se vai ter algum desconto ao quitar aquela dívida e verificar sempre onde vai pagar menos juros”, afirma.

7 – Pense no futuro

Um empresário endividado não pode simplesmente pegar todo o lucro da empresa e pagar os credores, sem olhar um pouco mais para frente. “Ele precisa fazer um bom uso da sua reserva, não pode pensar só no curto prazo”, afirma Martins. “Se o pagamento da dívida chegar a comprometer a operação da empresa, se tiver que vender maquinário ou se desfazer das pessoas, por exemplo, isso não é bom. Nessas horas de dificuldade, ele tem que se ligar na possibilidade de uma retomada, não pode tomar decisões precipitadas”, aconselha.

8 – Mantenha o bom relacionamento com todos

Num cenário difícil, é preciso sempre buscar manter uma boa relação com seus clientes e credores. Se os seus clientes não pagam, eles podem estar na mesma situação que você, lembra Érika, da Crowe Horwath. “Na maioria dos relacionamentos empresariais, as partes desejam honrar seus compromissos, e por alguma dificuldade isso não acontece. Então é importante sempre tentar renegociar e manter a calma”, afirma a especialista. O mesmo vale para a relação com os credores. Mesmo que não possa pagar a dívida naquele momento, o empreendedor deve buscar manter um bom diálogo com eles. 

9 – Reduza seu estoque

Uma boa forma de aliviar as contas de uma empresa endividada é reduzir o estoque, de acordo com José Balian, da ESPM. “Reduzir o estoque ajuda a gerar liquidez para empresa. Mas isso é fácil de falar e difícil de fazer”, ressalta o professor. Balian lembra que não é vantajoso vender seus produtos a preço de banana. “Não adianta vender e ficar com prejuízo. O valor da venda tem que, pelo menos, cobrir os custos.”

10 – Zele pelos atuais clientes

Num período em que está difícil fechar novos contratos, manter os clientes antigos é fundamental. “É importante não perder qualidade no serviço para manter os atuais clientes. Quando está difícil fechar novos contratos, você tem que manter aqueles que já tem”, ressalta Érika.