Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Volkswagen aceita acordo de US$4,3 bi com EUA sobre fraude

Promotores também acusaram seis executivos da Volkswagen e funcionários pela participação em quase 10 anos em conspiração

Washington – A Volkswagen AG aceitou um acordo de 4,3 bilhões de dólares para encerrar investigações criminais e civis do governo dos Estados Unidos sobre o escândalo de fraude de testes de emissão de poluentes em veículos a diesel da montadora alemã, de acordo com documentos divulgados nesta quarta-feira.

Promotores também acusaram seis executivos da Volkswagen e funcionários pela participação em quase 10 anos em conspiração, incluindo Oliver Schmidt, que era o gerente responsável pelo escritório ambiental e de engenharia da companhia em Michigan.

De acordo com documentos arquivados no Tribunal de Distrito dos EUA em Detroit, a Volkswagen pagará uma multa civil de 1,5 bilhão de dólares e multa criminal de 2,8 bilhões.

A empresa teria recebido multas ainda maiores se não tivesse concordado em gastar cerca de 11 bilhões de dólares para atender veículos de consumidores.

Após a empresa se declarar culpada por conspiração para cometer fraude, obstrução da justiça e entrada de mercadorias por falsa declaração, ela será formalmente sentenciada.

A Volkswagen admitiu que seis supervisores que não tiveram os nomes divulgados enganaram, de 2006 a 2016, reguladores e clientes sobre os procedimentos.

O Departamento de Justiça informou que empregados da empresa disseram a engenheiros em 2012 para destruir um documento que detalhou a fraude e que os advogados incitavam os funcionários a destruir documentos.

A companhia enfrentará supervisão por um monitor independente por três anos e concordou em fazer reformas significativas.

A empresa concordou em demitir seis funcionários, suspender oito e disciplinar três que participaram da má conduta relacionada ao caso. O acordo ainda precisa ser aprovado pelo juiz distrital Sean Cox, em Detroit.

A segunda maior montadora de veículos do mundo confirmou na terça-feira que negociou um acordo de 4,3 bilhões de dólares comautoridades norte-americanas para encerrar as acusações e que planeja se declarar culpada de má conduta como parte do acordo civil e criminal.