Vendas totais do Carrefour crescem 6,1% no 2º trimestre

As vendas somaram 43,053 bilhões de euros no período, um crescimento nominal de 6,2%, sem efeitos cambiais e sazonais, de 2,1%

São Paulo – O Carrefour informou nesta quinta-feira, 6, que suas vendas totais cresceram 6,1% no segundo trimestre em relação a igual período de 2016, totalizando 21,759 bilhões de euros.

Desconsiderando-se efeitos cambiais e sazonais, além das vendas de gasolina, a receita do Carrefour subiu 2,8% na mesma comparação.

No primeiro semestre, as vendas somaram 43,053 bilhões de euros, um crescimento nominal de 6,2%, sem efeitos cambiais e sazonais, de 2,1%.

O grupo francês, no entanto, informou que devido ao pedido para a realização de uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) no Brasil, “o nível de detalhe de vendas do Carrefour no segundo trimestre será limitado”.

“A publicação usual de vendas por região será tornada pública quando o Grupo Carrefour divulgar seus resultados do primeiro semestre, em 30 de agosto de 2017”, informou.

No documento com os resultados, o Carrefour disse que a França registrou uma boa performance no segundo trimestre, com vendas reportadas em alta nominal de 0,8%, a 9,942 bilhões de euros.

Sem efeitos sazonais, o avanço foi de 1,9%. “As vendas aumentaram em todos os formatos e se beneficiaram do crescimento do comércio eletrônico e do crescente impulso de lojas ex-DIA convertidas em Carrefour há mais de 12 meses.”

As vendas de alimentos contribuíram para o bom desempenho da empresa na França, com aumento de 2,8% no segundo trimestre ante igual período de 2016.

No primeiro semestre, as vendas na França totalizaram 19,348 bilhões de euros, um avanço de 0,8% em termos nominais e de 1,3% sem efeitos sazonais.

Já as vendas nos demais países em que o Carrefour atua aumentaram 11,1% no segundo trimestre, para 11,817 bilhões de euros.

Desconsiderando-se efeitos cambiais e sazonais, o crescimento das vendas foi de 3,4%, impulsionado pela expansão de 3,6% das vendas de alimentos.

“As vendas fora da França beneficiaram o resultado com um efeito cambial positivo de 3,4%”, disse o Carrefour em comunicado.

De janeiro a junho, as vendas internacionais do grupo foram de 23,706 bilhões de euros, alta de 2,8% desconsiderando-se efeitos cambiais e sazonais e de 11% em termos nominais.

O grupo francês dividiu seus resultados de vendas apenas em outros países europeus e em resto do mundo.

Nos demais países europeus, as vendas totalizaram 5,778 bilhões de euros no segundo trimestre, um crescimento de 8,6% em termos nominais e de 3,4% desconsiderando efeitos cambiais e sazonais.

No primeiro semestre, as vendas somaram 11,163 bilhões de euros, com alta de, respectivamente, 6,1% e 2,2%.

No resto do mundo, as vendas cresceram 13,6% em bases nominais e 3,4% desconsiderando efeitos cambiais e sazonais, a 6,038 bilhões de euros.

No semestre, as vendas totalizaram 12,543 bilhões de euros, avanço de 3,3% sem efeitos cambiais e sazonais e de 15,7% nominalmente.

Apesar de o Carrefour reforçar que “informações mais detalhadas sobre o desempenho nesses mercados serão dadas durante a apresentação dos resultados do primeiro semestre em 30 de agosto de 2017”, o grupo disse que, no geral o efeito do câmbio no trimestre foi favorável em 1,8%, em grande parte devido à valorização do real.

IPO no Brasil

A abertura de capital do Carrefour no Brasil poderá chegar a até R$ 7,6 bilhões e ser a maior oferta desde 2013, ano em que o BB Seguridade fez sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Sem contar os lotes extras, a oferta poderá ficar entre R$ 4,45 bilhões e R$ 5,64 bilhões.

Ao todo serão ofertadas ao mercado 205.882.353 ações ordinárias na oferta primária e 91.261.489 ações na secundária, que é aquela em que o grupo francês Carrefour e a Península (fundo da família do empresário Abílio Diniz) venderão parte de seus papéis.

O lote adicional poderá ser colocado ao mercado e é formado por até 59.428.768 ações, ou 20% das ações inicialmente ofertadas.

O lote suplementar pode chegar a até 44.571.576 ações, ou 15% do lote principal. A faixa indicativa de preço por ação foi estabelecida entre R$ 15 e R$ 19.