Usuários do Uber pedem pizza e recebem lanche mordido

Reclamação foi feita por um casal de Toronto, no Canadá, e disseminada nas redes sociais

São Paulo – Quando um pequeno negócio se transforma em uma grande companhia em um curto espaço de tempo, é comum dizer que os erros de gestão que se sucedem são consequências das “dores do crescimento”.

No caso do aplicativo Uber, no entanto, os percalços do caminho têm sido tantos que ninguém mais se atreve a dizer que se trata de desafio ou de modelo de gestão mesmo.

Ontem, a companhia anunciou a demissão de 20 motoristas acusados de assédio sexual depois de uma ampla investigação interna nos Estados Unidos.

Hoje foi a vez de um casal de Toronto, no Canadá, disseminada no mundo todo, pelas redes sociais, uma reclamação um tanto estranha. Anna Kotlikova e seu namorado, Blake Weinzettl, disseram ter pedido uma pizza na noite de domingo pelo serviço de entrega UberEats.

Depois de meia hora de atraso, receberam outra coisa: um saco marrom com “sanduíches mofados, um parcialmente comido, acompanhado de dois discos redondos não identificáveis ​​e uma salada que parecia ter sido feita na semana passada”, conforme descreveram ao site canadense CBC Toronto.

“O cheiro dominou toda a sala”, disse Kotlikova ao jornal, acrescentando que a embalagem parecia ter sido adulterada e os utensílios abertos.

Reclamaram, claro, ao gerente do restaurante para quem fizeram o pedido, que garantiu a qualidade e embalagem lacrada dos lanches antes da entrega pelo UberEats.

Convencidos da defesa do fornecedor, passaram a questionar o entregador pelas redes sociais. Mas um detalhe fez muita diferença na apuração do caso.

Pequeno desvio

Além do número de ordem do pedido na nota que veio com o lanche ser diferente do feito pelo casal, a rota feita pelo motorista mostrava um desvio entre o endereço do restaurante e o local da entrega. De onde teria vindo o alimento mofado então?

Sem resposta, o casal decidiu contar a história em sua página no Facebook e a coisa toda viralizou depois outras várias reclamações semelhantes terem sido feitas por outros usuários.

Uma delas inclusive dizia que uma entrega parecida havia sido feita para um pedido no mesmo restaurante e no mesmo dia.

O gerente geral do restaurante, com duas queixas semelhantes na mesma noite de fato, decidiu fazer uma reclamação oficial ao Uber.

Porém, a queixa mais relevante ficou para a postura do aplicativo frente a situação. O casal canadense afirmou que a resposta tardia e formal da empresa, que incluiu o envio de um voucher de 25 dólares canadenses como restituição, não deixou clara o destino do motorista.

“Ele dirige regularmente para Uber? Não fazemos ideia”, disse ela. 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. daniel saverio

    Nossa que materia mais idiota, não é isso que eu procuro ler na EXAME, isso parece matéria de Catraca Livre, desnecessário , só porque é a polemica Uber, não quer dizer que tem sair na mídia , erro banal, descrebilidade do canal. Realmente rídicula a matéria