Usiminas tenta acordo com a MMX sobre Porto do Sudeste

A informação é do presidente da siderúrgica, Julián Eguren, que participa do 24º Congresso Mundial do Aço, no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro – A Usiminas vai buscar uma solução amigável com a MMX, braço de mineração do grupo EBX, diante do atraso no acordo logístico firmado para o escoamento de minério por meio do Porto do Sudeste, em Itaguaí (RJ).

A informação é do presidente da siderúrgica, Julián Eguren, que participa do 24º Congresso Mundial do Aço, no Rio de Janeiro.

“Estamos buscando um entendimento e achamos que vamos encontrar uma saída negocial. Para nós é um parceiro importante”, afirmou. O contrato traz cláusula que prevê que a Usiminas pode cobrar uma multa da MMX se esta deixar de realizar embarques, mas a siderúrgica ainda não definiu se irá exercê-la.

De acordo com Eguren, ainda não houve impactos nos embarques, mas isso deverá acontecer a partir de setembro ou outubro, quando o Projeto Friáveis de minério de ferro da Usiminas, em Serra Azul, começa a operar.