Dólar R$ 3,28 0,39%
Euro R$ 3,67 -0,04%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 0,95% 63.257 pts
Pontos 63.257
Variação 0,95%
Maior Alta 5,04% SMLE3
Maior Baixa -3,99% MRFG3
Última atualização 24/05/2017 - 17:20 FONTE

Uber ameaça demitir executivo acusado de roubar segredos de rival

Waymo processou o Uber, alegando que ex-executivo teria feito download de mais de 14 mil documentos antes de deixar a empresa para se juntar à rival

São Francisco – O Uber ameaçou demitir um engenheiro acusado pela unidade de carros autônomos da Alphabet, a Waymo, de roubar documentos confidenciais em um caso envolvendo importantes segredos comerciais entre as duas empresas, segundo parecer judicial.

A Waymo processou o Uber, alegando que seu ex-executivo Anthony Levandowski teria feito download de mais de 14 mil documentos confidenciais antes de deixar a empresa para se juntar à rival.

O caso, motivado pela disputa das duas companhias pelo domínio do segmento de automóveis autônomos, se centra nas alegações da Waymo de que a informação obtida por Levandowski chegou ao sistema Lidar do Uber, uma importante tecnologia de sensor em carros autônomos.

Na semana passada, o juiz norte-americano William Alsup, em San Francisco, emitiu liminar ordenando que o Uber mantenha Levandowski afastado dos trabalhos envolvendo a tecnologia em questão, de modo a impedir que ele e outros funcionários usem o material e que o devolvam à Waymo até 31 de maio.

O Uber informou Levandowski de que ele precisa cumprir a ordem judicial e devolver os documentos à Waymo ou enfrentar possível rescisão contratual, disseram os advogados dele no documento judicial.

Os advogados pediram ao juiz que modifique a liminar, de modo que o Uber não seja obrigado a demitir Levandowski se o engenheiro reivindicar os direitos constitucionais contra auto-incriminação e se recusar a produzir os documentos.

Representantes do Uber não puderam ser imediatamente contatados para comentar o assunto, enquanto o porta-voz da Waymo se recusou a fazê-lo.

Na quinta-feira, o Uber informou que apelaria da decisão do juiz.

Levandowski deixou a Waymo em janeiro de 2016 e começou a Otto, uma startup de caminhões autônomos que o Uber comprou em agosto do mesmo ano por 680 milhões de dólares. Até o mês passado, ele comandava a divisão de carros autônomos do Uber, ante de se distanciar das responsabilidades por causa do processo judicial.

O Uber não negou que Levandowski tenham pego documentos da Waymo, mas alega que não usou qualquer tecnologia da concorrente em seus carros.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s