Telefônica tem 200 milhões de clientes na América Latina

O número representa mais de um terço do total dos usuários da empresa no mundo

Madri – A Telefônica superou no primeiro trimestre do ano os 200 milhões de clientes na América Latina, com um total de 205,43 milhões de acessos, o que representa mais de um terço do total de seus usuários no mundo, segundo dados concedidos pela multinacional espanhola à Comissão Nacional da Bolsa de Valores (CNMV) da Espanha.

O aumento da atividade comercial e a reestruturação de emprego no Brasil por 56 milhões de euros fez aumentar as despesas do grupo em 14,3%, até 5.136 milhões no primeiro trimestre.

Os investimentos foram de 906 milhões, 28,8% a mais que há um ano, e se destinaram principalmente ao desdobramento da rede. O Brasil foi responsável por mais da metade, com 507 milhões, 62,2% a mais.

Na Argentina, a Telefônica investiu 86 milhões de euros (42,5% a mais); Chile, 107 milhões (39,7% a mais); Peru, 58 milhões (67,5% a mais); Colômbia, 38 milhões (18,4% a menos); México, 28 milhões (63,4% a mais); Venezuela, 64 milhões (21,4% a menos); América Central, 8 milhões (61,2% a mais); Equador, 8 milhões, e Uruguai, 2 milhões.

Em comunicado ao órgão regulador da bolsa espanhola, a Telefônica assinalou que dos 205,43 milhões de clientes (10,8% a mais que há um ano), 170,8 são de celular (12,7% a mais); 23,9 de fixo tradicional (1,2% a menos); 8,3 milhões de internet (8% a mais), e 2,3 milhões de TV por assinatura, (22,6% a mais).

No primeiro trimestre do ano, o negócio da Telefônica na América Latina alcançou também outro recorde, o de apresentar mais de 50% do resultado operacional bruto (oibda) ao grupo com 2.549 milhões de euros, 0,8% a mais que há um ano.

A receita da região chegou aos 7,519 bilhões no primeiro trimestre do ano, o que significa um aumento de 8,3% com relação à situação do ano passado e que continua impulsionada pelo negócio de telefonia celular.

Apenas os negócios de dados por celular subiram 28,2% e já representam 28% da receita de telefonia celular.

O Brasil é a maior empresa do grupo no mundo todo, com 90,4 milhões de clientes, 16% a mais que há um ano.

Os 74,78 milhões de usuários de telefonia celular brasileiros, 16,4% a mais que há um ano, representam uma fração de mercado de 29,8% no país, onde esta tecnologia tem uma penetração de 128%, 20 pontos a mais que há um ano.

A receita foi de 3,604 bilhões de euros, 4,2% superior ao índice de um ano atrás, e o resultado operacional bruto (oibda) foi de 1,246 bilhões, 1,1% a menos, embora em moeda local tenha subido 0,5%.