Telefônica Brasil encerra disputa com executiva demitida

A Telefônica Brasil disse que os relatos sobre discrepâncias de preços excessivas na divisão de marketing foram baseados em "falsas informações"

A Telefônica Brasil e a ex-executiva sênior Cristina Duclos chegaram a um acordo sobre a disputa sobre sua demissão, dizendo que não aconteceram práticas de contratação irregular na divisão que ela chefiava.

Numa declaração publicada nesta terça-feira pelo jornal Valor Econômico, a Telefônica Brasil disse que os relatos sobre discrepâncias de preços excessivas na divisão de marketing foram baseados em “falsas informações”.

Duclos deixou a empresa devido a uma reestruturação, disse o comunicado.

Um representante de Duclos disse que a executiva planeja retomar sua carreira assim que possível. A saída dela foi amigável, com os devidos pagamentos, disse o comunicado.

Em 25 de julho, o jornal Valor Econômico noticiou que a empresa estava conduzindo uma investigação interna liderada por uma empresa de auditoria para analisar os 1,3 bilhões de reais que a companhia investe anualmente em propagandas.

A Reuters noticiou que em 28 de setembro que a executiva processou a maior operadora de telefonia do Brasil, dizendo que a companhia plantou as notícias sobre irregularidades. À época, ela buscou ressarcimento.