Dólar R$ 3,32 0,51%
Euro R$ 3,76 0,11%
SELIC 10,25% ao ano
Ibovespa -0,82% 61.675 pts
Pontos 61.675
Variação -0,82%
Maior Alta 5,67% CSNA3
Maior Baixa -3,90% ESTC3
Última atualização 27/06/2017 - 17:21 FONTE

State Grid prevê captar R$3,2 bi com debêntures para Belo Monte

O linhão está orçado em 8,7 bilhões de reais, e a empresa ainda espera contar com 2,95 bilhões de reais em empréstimo do BNDES

São Paulo – A chinesa State Grid prevê captar cerca de 3,2 bilhões de reais com a emissão de debêntures de infraestrutura para financiar a construção do segundo linhão de ultra-alta tensão que vai conectar a hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, ao sistema elétrico do Sudeste, segundo apresentação da empresa vista pela Reuters.

O linhão, com cerca de 2,5 mil quilômetros, está orçado em 8,7 bilhões de reais, e a empresa ainda espera contar com 2,95 bilhões de reais em empréstimo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), aponta o material da empresa, disponibilizado nesta quarta-feira no site da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

O segundo linhão de Belo Monte precisa iniciar operação em dezembro de 2019. Um primeiro linhão, que está sendo construído pela State Grid em parceria com a Eletrobras, precisa estar pronto em fevereiro de 2018.

A emissão das debêntures está prevista para acontecer em três séries, em fevereiro de 2018, fevereiro de 2019 e fevereiro de 2020.

Até o momento, os chineses já aportaram 543 milhões de reais no empreendimento, e o valor deverá alcançar um acumulado de 1,1 bilhão de reais até março, se o licenciamento ambiental do projeto for liberado e as obras forem iniciadas em abril, conforme prevê atualmente o cronograma da State Grid.

A expectativa inicial da empresa era ter as licenças ambientais no início deste ano. Recentemente, uma fonte disse à Reuters que o Ibama deve liberar a licença prévia do linhão ainda neste mês.

Em um resumo da situação do empreendimento apresentado ao regulador, a State Grid disse ainda que utilizará equipamentos fabricados no Brasil e na China no linhão.

Serão produzidos localmente os equipamentos de corrente alternada, filtros e transformadores YD, enquanto a companhia comprará da China os equipamentos corrente contínua, válvulas, transformadores YY e sistemas de proteção e controle.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. antonio carlos

    ELETROLÃO DA MÁFIA FIESP/PT/PMDB/DILMA/ AQUI> Assim é fácil ganhar U$ no Brasil. Devia pedir isso no exterior. BNDES já esta arrombado pela máfia PT.