State Grid está na disputa por redes de energia italianas

Associação poderia criar problemas, porque chineses e italianos pretendem ambos comprar ativos em toda a Europa

Milão – A empresa estatal de transmissão de energia da China é um dos dois candidatos para comprar uma grande participação em redes de energia elétrica da Itália, mas essa associação poderia criar problemas porque chineses e italianos pretendem ambos comprar ativos em toda a Europa, disseram fontes com conhecimento do assunto.

Como parte de um esforço de privatização para reduzir a dívida pública, o banco estatal italiano Cassa Depositi e Prestiti (CDP) está tentando vender até 49 por cento da CDP Reti, que controla a rede de transporte de gás Snam e em breve a empresa de rede de transmissão de energia Terna.

Fontes disseram à Reuters que a State Grid Corporation of China e a australiana Industry Funds Management (IFM) foram os únicos pretendentes interessados ​​na compra de uma participação significativa, embora a CDP também esteja buscando fundos de investimento para comprar participações menores.

O fracasso em lidar com potenciais investidores sobre a governança da empresa de rede poderia colocar uma tal venda em risco. “A Terna, inicialmente, não estava muito feliz. Um operador como esse não pode estar feliz em ter um rival industrial em sua base de acionistas, uma vez que os potenciais conflitos de interesse poderiam atrapalhar ambições no exterior”, disse uma fonte próxima ao assunto.

A State Grid e o CDP se recusaram a comentar, enquanto funcionários da IFM não puderam ser imediatamente contatados para comentar o assunto. A CDP tinha inicialmente planejado levantar os recursos até o final de junho, mas o processo de venda está levando mais tempo do que o planejado.

A Terna, uma dos maiores operadoras de rede de energia da Europa com 63 mil quilômetros de linhas de transmissão de energia, está interessada em planos da Grécia de vender uma participação de 66 por cento na empresa de redes de energia ADMIE, que opera linhas no total de 11 mil quilômetros. Fontes dizem que a State Grid também está na disputa.

“A Terna está interessada na rede grega, mas não tem o dinheiro fácil que os chineses têm, e certamente não pode se dar ao luxo de comprar uma participação tão grande quanto eles”, disse uma fonte próxima à empresa.

A State Grid, maior concessionária de serviço público estatal do mundo, pretende mais do que quadruplicar seus ativos no exterior para 30 bilhões a 50 bilhões de dólares, uma vez que busca diversificar os negócios para além do mercado doméstico de retornos mais elevados. A empresa, cujo investimento estrangeiro está focada em redes de energia e fabricantes de eletrodomésticos, comprou uma participação de 25 por cento na portuguesa REN há dois anos e disse que vai investir mais em serviços públicos europeus, se o preço for justo. (Por Stephen Jewkes, com reportagem adicional de Francesca Landini em Milão e Charlie Zhu em Hong Kong)