Espanha pede investigação por fraude contra a Volkswagen

A subsidiária espanhola da Volks, SEAT, afirmou que havia 700 mil veículos com o software que permitia fraudar testes

Madri – Promotores espanhóis pediram que a Corte Nacional abra uma investigação contra a Volkswagen, para apurar possíveis fraudes e crimes ambientais da empresa, relacionados ao escândalo de fraudes em testes de emissões de poluentes da montadora alemã.

O escritório da promotoria enviou a recomendação nesta segunda-feira ao juiz investigativo Ismael Moreno, argumentando que o caso pode ter afetado pessoas em toda a Espanha. Segundo os promotores, as ações da companhia podem ser enquadradas como fraude contra o governo espanhol.

A subsidiária espanhola da Volks, SEAT, afirmou que havia 700 mil veículos com o software que permitia fraudar testes. No total, a Volkswagen informou que 11 milhões de carros com esse software foram comercializados pelo mundo.

Os promotores espanhóis agiram a partir de reclamações formais feitas pelo grupo anticorrupção Manos Limpias e por uma associação de vítimas.